Publicidade

Estado de Minas CPI DA COVID

Queiroga sobre a Copa América: 'Não é um evento de massa'

Ministro foi questionado na CPI da COVID pelo senador Randolfe Rodrigues sobre a realização do campeonato


08/06/2021 15:28 - atualizado 08/06/2021 15:51

A CPI da Pandemia ouve, pela segunda vez, o ministro da Saúde(foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
A CPI da Pandemia ouve, pela segunda vez, o ministro da Saúde (foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou durante depoimento à Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) da COVID, realizado nesta terça-feira (8/6), que a Copa América não é um "evento de massa”.

Queiroga foi questionado sobre o aconselhamento ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para a realização do evento. A pergunta foi feita pelo vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

“O presidente da República e os governadores sabem dos riscos e dos protocolos para a Copa América. Não é um evento de massa", disse o ministro.

“Não pode ter evento de massa!”, afirmou o senador sobre a realização do evento.

“Todo mundo de máscara e sem público, tem massa onde?”, rebateu o ministro.

Randolfe afirmou que cerca de 3.000 jornalistas vão participar do evento, além da entrada de diversos jogadores de outros países. “Mas não tem que ter jornalista, tem que ter jogador”, afirmou o ministro.

Leia: 
CPI da COVID: Alessandro Vieira vai entrar com representação contra Heinze 

Em seguida, Queiroga afirmou que os estádios não terão torcida e reforçou que o campeonato não é um evento de massa novamente, já que não haverá torcida nos estádios. “O senhor sabe quantos sul-americanos entram no Brasil por dia?”, rebateu Queiroga.

 

Entenda
 

Ministro da Saúde desde março deste ano, Marcelo Queiroga depõe nesta terça-feira (8/6) à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPIda COVID, instalada pelo Senado. Queiroga depõe pela segunda vez à CPI da pandemia e, assim como na outra oportunidade, fala na condição de testemunha.

Queiroga é uma das 12 pessoas já ouvidas pela CPI. Ele depôs em 6 de maio, ainda na primeira semana de oitivas, e retorna após algumas “brechas” deixadas no primeiro depoimento.

Os senadores Humberto Costa (PT-PE), Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) assinam os requerimentos que proporcionaram o retorno do ministro.

A CPI da COVID apura possíveis ações e omissões do governo federal no enfrentamento à pandemia do coronavírus e repasses de verbas a estados e municípios. A comissão foi instalada em 27 de abril deste ano. 

  


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade