Publicidade

Estado de Minas ENTREVISTA

'Aulas voltam de imediato assim que tribunal se decidir', diz Romeu Zema

Em entrevista à Rádio Itatiaia, governador também disse que espera vacinar toda a população de Minas até outubro


08/06/2021 08:51 - atualizado 08/06/2021 09:23

(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
O governador Romeu Zema (Novo) afirmou que as aulas presenciais devem ser retomadas assim que sair a decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, que segue com o julgamento do mandado de segurança apresentado pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE) contra a retomada. A afirmação foi feita em entrevista à Rádio Itatiaia, nesta terça-feira (8/6).

"Volta às aulas é um anseio de muitos pais e de nosso governo, mas a questão agora está sob júdice. Vale lembrar que essa volta às aulas será opcional. Volta de imediato, assim que o tribunal se decidir", disse.

O governador ainda comentou sobre o acordo de indenização que está sendo fechado na Justiça para ressarcir os danos causados pelo rompimento de barragem da Samarco em Mariana. Tratou do parcelamento do pagamento do funcionalismo e sobre o ritmo de vacinação em Minas.

Com 56 anos, o próprio governador poderá se vacinar de acordo com as determinações do Plano Nacional de Operacionalização de Vacina contra a COVID-19. A data da imunização com a primeira dose está disponível para pessoas da faixa etária dele na segunda-feira em Belo Horizonte.

No entanto, ele afirmou que estará no Vale do Jequitinhonha na ocasião, mas garantiu que assim que retornar à Capital se vacinará. Ele falou sobre o ritmo de vacinação no estado, alegando que todos devem seguir no mesmo ritmo.

"Queremos que até outubro todos os mineiros adultos já estejam vacinados. Vai depender da remessa das vacinas, mas é bem provável que isso aconteça".

Belo Horizonte tem mantido um percentual de vacinação acima do estado e do país, enquanto a média de Minas era 23% da população imunizada com a primeira dose, em BH, 43% já havia se vacinado - de acordo com os paineis de vacinação do estado e da capital no dia 4 de junho.

Na entrevista, o governador afimou que a expectativa para acordo de Mariana para ressarcir os dados causados pelo rompimento da barragem da Samarco, Vale BHP Billiton. "Dá forma como está, vamos levar décadas para efetuar os reparos que devem ser feitos. Será um acordo de valor superior ao de Brumadinho. Mas Minas vai receber, Espírito Santo vai receber, a União também receberá. Será o maior acordo do Brasil".

O governador ainda afirmou que não é possível dizer quando o pagamento do funcionamento será feito de uma vez só e não parcelado, como tem ocorrido no quinto dia útil e no dia 20 do mês.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade