Publicidade

Estado de Minas VISITA DO PRESIDENTE

Kalil sobre motociata de Bolsonaro: 'Pode andar até de velocípede'

Segundo o prefeito de BH, andar de moto não está proibido na capital mineira e Bolsonaro é 'muito bem-vindo'


28/05/2021 16:48 - atualizado 28/05/2021 17:05

Kalil comentou sobre a possível vinda de Bolsonaro até BH(foto: Band Tv/Reprodução)
Kalil comentou sobre a possível vinda de Bolsonaro até BH (foto: Band Tv/Reprodução)
O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), comentou durante entrevista a TV Band, nesta sexta-feira (28/5), sobre a possível ‘motociata’ do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na capital mineira.

Leia: Kalil sobre CPI da COVID: 'Chocante e revoltante'

Durante a live de quinta-feira (27/5), após passear de moto com apoiadores no fim de semana, no Rio de Janeiro, o presidente disse que poderá fazer o mesmo em Belo Horizonte, em junho. 

Bolsonaro afirmou que está em dúvida entre a capital mineira e Porto Alegre, mas que o próximo evento está previsto para ocorrer na primeira semana do próximo mês.

Leia: Escoltado por mil policiais, Bolsonaro passeia de moto com apoiadores no RJ

O presidente também disse que, antes de marcar qualquer passeio de moto com apoiadores, precisa da autorização de governadores e prefeitos das cidades em que serão realizados os eventos.

Questionado sobre o assunto, Kalil disse que “não existe um político no Brasil que o prefeito não receba, ainda mais o presidente do Brasil. E de mais, a mais… não está proibido andar de motocicleta na nossa cidade”, explicou o prefeito.

Segundo Kalil, “por enquanto" ele não vê nenhum problema nisso, já que ele é motociclista e não há proibição nenhuma.

“Não existe proibição para andar de moto, a pé, de velocípede, a cavalo, pode andar do jeito que quiser”, pontuou.

Kalil ainda afirmou que Bolsonaro será “muito bem-vindo” à prefeitura de Belo Horizonte. E caso Bolsonaro o convide, ele irá "humildemente a qualquer lugar”.  “Ele.. o governador… quem quer que seja, candidatos… Todo mundo senta e conversa. Conversar não mata ninguém”, disse.

Questionado sobre as aglomerações durante a pandemia de COVID-19 promovidas por Bolsonaro durante visita aos estados, Kalil respondeu que caso tenha oportunidade, ele vai se comprometer que a visita não tenha aglomerações.

“Não vamos levar isso como o Rio de Janeiro levou, definitivamente. Mas ele é muito bem-vindo a Belo Horizonte. Ele veio aqui duas vezes, durante a campanha, depois nunca mais. Mas isso tem que ser tratado, ainda mais em uma cidade que se cuidou tanto. Eu sou o prefeito da minha cidade e não posso dizer que está proibido o que não está”, afirma o prefeito de BH.

O passeio de moto de Bolsonaro no Rio de Janeiro gerou aglomeração entre os apoiadores, aumentando o risco de transmissão da COVID-19. O uso de máscaras entre os milhares de presentes também era pouco comum. A maioria deixou de lado a proteção.

Motociata de Bolsonaro no Rio de Janeiro(foto: PR/Reprodução)
Motociata de Bolsonaro no Rio de Janeiro (foto: PR/Reprodução)

Ao todo, mil policiais militares de quatro batalhões do Rio atuaram no esquema de segurança.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade