Publicidade

Estado de Minas CPI DA COVID

CPI da COVID em BH é instalada e solicita à prefeitura dados sobre gastos

Reuniões ordinárias da comissão da Câmara Municipal acontecerão às quintas-feiras, a partir das 9h30


27/05/2021 10:35 - atualizado 27/05/2021 10:57

Sede da Prefeitura de Belo Horizonte, localizada na Região Central da capital mineira(foto: Rodrigo Clemente/Prefeitura de Belo Horizonte)
Sede da Prefeitura de Belo Horizonte, localizada na Região Central da capital mineira (foto: Rodrigo Clemente/Prefeitura de Belo Horizonte)
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID-19 em Belo Horizonte foi instalada na Câmara Municipal de BH nesta quinta-feira (27/5). A CPI vai apurar atuação e utilização de recursos públicos pela prefeitura da capital mineira no enfrentamento à pandemia do coronavírus no município.

Na reunião desta quinta, a primeira depois da sessão inaugural realizada na última sexta-feira (21), dois requerimentos já foram aprovados. Um, de autoria do vereador Ciro Pereira (PTB), solicita à Prefeitura de BH informações sobre gastos realizados durante a pandemia, principal tema da comissão.

Já o outro pede ao Senado o compartilhamento de dados relativos à capital mineira apresentados à CPI da COVID que acontece na Casa federal. Segundo a vereadora Flávia Borja (Avante), autora do requerimento na CPI municipal, a Prefeitura de BH apresentou esses gastos ao Congresso Nacional a partir de solicitação dos senadores Ciro Nogueira (PP-PI) e Marcos Rogério (DEM-RO).

Os vereadores também definiram que a reunião seguinte da CPI, que terá a votação do plano de trabalho a ser apresentado pelo relator Irlan Melo (PSD), acontecerá excepcionalmente na próxima terça-feira (1º/6), a partir das 9h. Isso porque na próxima quinta-feira (3/6) é feriado de Corpus Christi, e todas as reuniões ordinárias da comissão acontecerão às quintas-feiras, a partir das 9h30. Dessa forma, não haverá o encontro nesta data.

Na sequência houve uma explicação a respeito do funcionamento de uma CPI, feita por Irlan Melo a partir de um pedido de Flávia Borja, e também uma discussão a respeito das convocações à comissão. Ficou acordado que os depoentes poderão participar de forma presencial ou remota, assim como os parlamentares.

Sete membros titulares compõem a CPI da COVID em BH: Nikolas Ferreira (PRTB), signatário inicial da comissão, Jorge Santos (Republicanos), Irlan Melo, Flávia Borja, José Ferreira (PP), Bruno Miranda (PDT) e Professor Juliano Lopes (PTC), esse último o presidente da comissão.

Marilda Portela (Cidadania), Marcos Crispim (PSC), Doutor Célio Frois (Cidadania), Helinho da Farmácia (PSD), Walter Tosta (PL), Pedro Patrus (PT) e Miltinho CGE (PDT) são os suplentes da CPI. A comissão foi autorizada por 14 dos 41 vereadores da Casa — número mínimo de assinaturas para o aceite de requerimentos do tipo. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade