Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

CPI da COVID: Renan quer convocar 'Capitã Cloroquina'

Requerimento foi apresentado durante depoimento do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga


06/05/2021 15:13 - atualizado 06/05/2021 18:52

Mayra Pinheiro é conhecida como 'Capitã Cloroquina'(foto: PR/Reprodução)
Mayra Pinheiro é conhecida como 'Capitã Cloroquina' (foto: PR/Reprodução)
O relator da CPI da COVID, senador Renan Calheiros (MDB-AL), apresentou nesta quinta-feira (6/5), um requerimento para convocar a secretária de Gestão do Trabalho do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, conhecida como “Capitã Cloroquina”.


O requerimento foi apresentado durante depoimento do atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Na tarde dessa quarta-feira (5/5), a secretária confirmou que ela foi a responsável pelo planejamento de uma comitiva de médicos que difundiu o uso de medicamentos sem eficácia comprovada contra a COVID-19 em Manaus dias antes de o sistema de saúde do Amazonas entrar em colapso, em janeiro último. O depoimento foi dado ao Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas.

A promoção de remédios sem eficácia e as ações do Ministério da Saúde antes e durante o colapso em Manaus são alvo das investigações da CPI da COVID no Senado.

Marcelo Queiroga evita responder perguntas sobre a cloroquina, hidroxicloroquina e ivermectina. Os remédios não tem comprovação cientifica comprovada contra a COVID-9. Ele alega que não pode responder por ser autoridade máxima na Saúde.
 
Queiroga assumiu o comando do Ministério da Saúde em 15 de março deste ano. Ele é o quarto gestor da pasta: primeiro, Luiz Henrique Mandetta (1° janeiro - 16 de abril), depois Nelson Teich (16 de abril - 15 de maio). O terceiro foi o general Eduardo Pazuello, que assumiu como interino em 15 de maio, mas só foi concretizado quatro meses depois (16 setembro - 15 março).

A CPI ouviu Mandetta na terça (4/5) e Teich na quarta (5/5). Pela ordem cronológica, o próximo seria Pazuello, mas ele alegou ter contato com pessoas que testaram positivo para a COVID-19 e, por isso, o depoimento foi remarcado para 19 de maio. 



Leia: CPI da COVID: Queiroga admite que cloroquina pode provocar arritmia
 
* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie.  


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade