Publicidade

Estado de Minas Eleições 2022

Kalil para Ciro, Mandetta e França: 'Tratem de ganhar essa guerra'

Políticos participaram de live sobre caminhos para a reconstrução social brasileira


30/04/2021 22:32 - atualizado 01/05/2021 10:00

Alexandre Kalil participou de live com Ciro Gomes, Mandetta e Márcio França nesta sexta (30/4) (foto: Reprodução/Facebook)
Alexandre Kalil participou de live com Ciro Gomes, Mandetta e Márcio França nesta sexta (30/4) (foto: Reprodução/Facebook)
“Cabe a esse homens, a vocês, pela importância que têm: tratem de ganhar essa guerra (contra a COVID-19), de não deixar esse país destruído”, pediu o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), para o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), e os ex-governadores Ciro Gomes (PDT) e Márcio França (PSDB), durante live da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), na noite desta sexta-feira (30/4).

Os políticos discutiram os “caminhos para a reconstrução social brasileira” em um cenário pós-pandemia. “Ajudem os negacionistas, os ignorantes, que não têm noção do que falam. O país destruído leva à derrota. A extrema direita ou extrema esquerda: não sei. Pode ser um grande mote político para esse centro: é ciência, pesquisa”, disse. 

Durante sua fala, Kalil também criticou a antecipação do debate eleitoral e afirmou que “é desumano falar em eleições no meio de pandemia”. “O povo está de saco cheio. O povo está por aqui com políticos que não sabem o que falam, que não é o caso de ninguém aqui (na live)”, comentou.


“Esqueçam, o povo não vai entrar nisso agora. O médio, o pequeno, o informal, o miserável: a última coisa que ele quer saber agora é eleição. E não vamos nos iludir, pois esse não é o assunto que o povo vai pensar agora (durante a pandemia)”

Kalil também criticou a polarização política e, principalmente, a “bolha” em Brasília que prejudica o país. “O povo brasileiro tem que estar focado nas eleições, se não vai ser mais fácil polarizar (entre esquerda e direita)”.

Ao ser questionado sobre a economia brasileira e a relação de Paulo Guedes e Jair Bolsonaro (Sem Partido), o prefeito de BH respondeu com a piada que diz que “banqueiro não morre do coração, pois não tem coração”. 

“Banqueiro não morre do coração e o presidente manda e eles obedecem. É um apego ao cargo inexplicável. Pois essa cadeira hoje, humilha. Cada um que levanta a bunda da cadeira, sai maior. E o Mandetta é um exemplo”, disse Kalil. 



Kalil participou, nesta sexta-feira (30/4), de uma live da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), que discutiu “caminhos para a reconstrução social” brasileira. A transmissão também contou com o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) e dos ex-governadores Ciro Gomes (PDT) e Márcio França (PSDB). 

O ao vivo começou às 19 horas no Facebook da CSB. Para divulgar a live, a central criou a hashtag #UniãoPeloBrasil e está em primeiro lugar dos assuntos mais comentados do Twitter Brasil desde o início da transmissão. 
 
*Estagiária sob supervisão do subeditor Eduardo Oliveira 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade