Publicidade

Estado de Minas TROCA DE FARPAS

Pacheco sai em defesa de Kátia Abreu e critica ministro Ernesto Araújo

Presidente do Senado disse que conversou com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a necessidade de fazer mudanças no ministério


28/03/2021 22:00 - atualizado 28/03/2021 23:34

Pacheco foi a favor de Kátia Abreu depois de acusações feitas pelo ministro Ernesto Araújo(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Pacheco foi a favor de Kátia Abreu depois de acusações feitas pelo ministro Ernesto Araújo (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, voltou a criticar o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. Além de afirmar que a política externa do Brasil deveria ser melhorada, o parlamentar rebateu a acusação de Araújo no Twitter sobre a senadora Kátia Abreu (PP-TO) de que ela atua em favor de interesses da China, especificamente na questão do mercado de 5G
 
Em entrevista à Globonews neste domingo (28/3), Pacheco disse que conversou com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a necessidade de fazer mudanças no ministério.
 
"Na minha conversa com o presidente da República, não houve pedido de ministro A ou B. A escolha de ministro cabe ao presidente. Mas o Senado fiscaliza o Executivo e as políticas públicas. Apontei ao presidente um entendimento unânime do Senado de que a política externa é capenga e precisa ser corrigida.”

“Seja quem for o ministro, temos que melhorar essa política”, acrescentou o presidente do Senado, que afirmou que a tentativa de o ministro desqualificar a senadora atingiu toda a casa.

Em relação à acusação feita por Araújo sobre Kátia Abreu, Pacheco disse que viu o fato com perplexidade e indignação. “Enquanto há pessoas na pandemia unidas no propósito de somar e pacificar, há pessoas no entorno do presidente da República que querem desagregar, como é o caso do ministro Ernesto Araújo. Quando faz uma manifestação dessa, no mínimo leviana contra uma senadora da República das mais competentes, é de ter a certeza de criar fatos políticos para estabelecer uma cortina de fumaça sobre problemas sérios que temos no Brasil”.

“Vivemos uma pandemia muito aguda, as pessoas morrem sem leitos e não temos soluções. Temos buscado uma solução para isso de maneira madura e sempre há um interesse obtuso de atrapalhar essa agregação, essa soma de vontades. Essa manifestação do ministro não cabe a alguém que tem de prezar pela boa relação externa, mas também interna”, afirmou Pacheco. 

Ele disse que o Senado está todo do lado da parlamentar: “A senadora Kátia Abreu tem toda nossa solidariedade e não merecia ter sido desqualificada”.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade