Publicidade

Estado de Minas Chanceler no paredão

Ernesto Araújo é pressionado ao ouvir de senadores: 'Pede para sair'

'O senhor realmente cursou o Instituto Rio Branco? Por que sua fala não parece diplomática', questionou o senador Fabiano Contarato (Rede/ES)


25/03/2021 10:54 - atualizado 25/03/2021 13:45

Ministro Ernesto Araújo é pressionado por senadores a deixar o cargo (foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Ministro Ernesto Araújo é pressionado por senadores a deixar o cargo (foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O chanceler Ernesto Araújo parece estar com os dias contados no Ministério das Relações Exteriores. Ao menos é essa a expectativa de senadores que questionaram o chanceler nesta quarta-feira (24/03), em reunião on-line, sobre as ações do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para efetivar a compra de vacinas contra a COVID-19.

Ernesto Araújo: 'Sistema de saúde, no geral, está bem'

“Eu, seu eu fosse o senhor, pediria demissão hoje”, disparou o senador  Jorge Kajuru (Cidadania-GO), seguido pelos senadores  Fabiano Contarato (Rede/ES),  Mara Gabrilli (PSDB/SP),  Tasso Jereissati (PSDB/CE),  Randolfe Rodrigues (Rede/AP), Simone Tebet (MDB/MS) e Jean Paul Prates (P/RN).

Os pedidos sem rodeios dos senadores ocorreu após a sabatina de Ernesto Araújo, que que se negou a responder algumas perguntas e escamoteou outras. Na avaliação dos senadores presentes à reunião, a postura do chanceler foi de afronta ao Senado.

Para os senadores, se Bolsonaro insistir em manter Araújo no cargo, o Itamaraty passará por um bloqueio do Senado. Isso significa dizer que ficam suspensas as sabatinas de embaixadores nomeados pelo governo para exercerem cargos no exterior.

Abaixo, os pedidos dos senadores para que Ernesto Araújo deixe o cargo de ministro das Relações Exteriores

Apresentação confusa

“Nunca presenciei uma apresentação tão confusa. Não sabendo construir  uma frase com sujeito, verbo e objeto. Não respondeu as perguntas”, reclamou o senador Fabiano Contarato (Rede/ES).

Pede para sair

“Pede para sair e durma com a consciência tranquila, o senhor vai ajudar a salvar vidas”,  disparou a senadora  Mara Gabrilli (PSDB/SP).

Para acabar com a crise

“Ministro, o senhor não tem mais condições de continuar no Ministério das relações Exteriores. E, ao contrário do que muitos pensam, não é para criar uma crise, mas para acabar com a crise”, afirmou o senador Tasso Jereissati (PSDB/CE).

Faça um favor

“ O senhor não tem condições de ser ministro. Faça um favor, em homenagem  aos mais de 300 mil brasileiros que perderam a vida, renuncie a esse cargo, peça para sair”, bradou o senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP).

Desafio

“Faço um desafio para o senhor que acha que não atrapalha o Brasil nesse momento de pandemia: peça exoneração por 30 dias. Vamos ver se, com esse gesto, não conseguimos mais rapidamente a vacina da coronavac e mesmo a vacina pfiser. Tenho certeza que com o gesto da sua exoneração, estaríamos nos redimindo perante china e o estados unidos e teríamos muito mais facilmente as vacinas nos braços do povo brasileiro”, vaticinou a senador Simone Tibet (MDB/MS).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade