Publicidade

Estado de Minas TROCA DE FARPAS

Governador do RS rebate Constantino após post sobre venda de bebidas

Jornalista fala que chefe de Estado se mostrou 'tirano da pior e espécie' ao controlar o que é vendido e é respondido publicamente no Twitter


06/03/2021 17:46 - atualizado 06/03/2021 18:46

Governador gaúcho e Rodrigo Constantino bateram boca no Twitter(foto: Reprodução)
Governador gaúcho e Rodrigo Constantino bateram boca no Twitter (foto: Reprodução)
 
Uma postagem do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (MDB), sobre o protocolo adotado pelo estado ao fechar as atividades não-essenciais deu início a uma troca de farpas pública com o jornalista e escritor Rodrigo Constantino neste sábado (6/3). 
 
A polêmica começou quando Leite postou que foram espalhadas notícias falsas afirmando que o estado havia proibido a venda de bebidas alcoólicas. “Está circulando uma informação incorreta de que proibimos a venda de bebidas – alcoólicas e não alcoólicas – em supermercados. As bebidas em geral estão dentro do item alimentação e podem, sim, ser comercializadas. Não caia em fake news e não espalhe a desinformação”, postou o governador.

Em seguida, Constantino respondeu à postagem de Leite: “Você vai decidir o que pode ou não ser comercializado agora, governador? Isso não é tirania da pior espécie?”.
 
 
 
Minutos depois, Leite cutucou o jornalista: “Por questão de saúde pública, só estabelecemos restrições em mercadorias que pagam ICMS. Caráter e opinião os que gostam de vender ainda podem, embora não se recomende”. 

Desde o início da semana, o governador determinou que somente o serviço essencial ficaria aberto depois do colapso no sistema de saúde (100% das UTIs ocupadas).
 

Demitido 


Rodrigo Constantino é assumidamente extrema-direita e defende as ideias do presidente Jair Bolsonaro nesta pandemia, como ser contrário ao fechamento das atividades, minimizar as mortes pela doença e assumir postura negacionista à vacina. Ele ganhou evidência no ano passado por ter sido demitido da Rádio Jovem Pan depois de um comentário sobre o caso de estupro da catarinense Mariana Ferrer.

Durante uma transmissão ao vivo, Constantino declarou que, se sua filha sofresse um abuso sexual assim como Ferrer, ele não denunciaria o homem e a deixaria de castigo.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade