Publicidade

Estado de Minas ARREPENDIDO

Deputado bolsonarista ataca Bolsonaro e ministro: 'Inertes, negam ciência'

O parlamentar de Santa Catarina, Maurício Eskudlark (PR) se revoltou com as atitudes adotadas pelo presidente durante a pandemia de COVID-19


05/03/2021 10:35 - atualizado 05/03/2021 11:17

Deputado estadual de Santa Catarina Maurício Eskudlark (PR)(foto: Agência Alesc)
Deputado estadual de Santa Catarina Maurício Eskudlark (PR) (foto: Agência Alesc)
O posicionamento adotado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante a pandemia de COVID-19 tem revoltado até mesmo os apoiadores. O deputado estadual de Santa Catarina Maurício Eskudlark (PR) criticou o chefe do executivo e o ministro da saúde, Eduardo Pazuello, durante a sessão de quarta-feira (03/02) na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). 

O parlamentar reclama que o governo Bolsonaro não tem um plano mais enfático sobre vacinas e isolamento social. "Qual país os governantes ficam inertes? Quase duas mil pessoas morrendo por dia é um absurdo. Tem solução para não ter lockdown, para não precisar de UTI? Tem, vacina. Enquanto ficaram negando a ciência, afrontando e estimulando as pessoas a não usar máscara nós vemos o problema crescendo", disse.

Eskudlark também atacou o dirigente do Ministério da Saúde. "Pazuello disse que vem sexta-feira a Xanxerê e Chapecó, fazer o que? Dizer que está fazendo o possível, que vai mandar mais meia dúzia de enfermeiros da Força Nacional de Saúde? De um país onde está se enfrentando o caos não tem de onde se tirar forças", apontou.

O deputado disse ter tido COVID-19 e confessou que o uso de cloroquina não fez efeito. Ele ainda criticou a população por não tomar atitudes contra o governo. "O ministro Pazuello tem que vir a Santa Catarina com milhões de doses de vacina, não adianta mais ficar nesse faz de conta. Nunca vi uma população aceitar com tanta passividade essa irresponsabilidade do ministério da Saúde e do governo federal", criticou.

"Se tiver vacina, não precisa de lockdown. Não adianta protestar contra o lockdown, vamos protestar para cobrar do governo federal que efetivamente disponibilize as vacinas, que resolvem o problema da saúde e da economia", continuou.

Ele também relembrou o veto de Bolsonaro na Medida Provisória que autorizava estados e municípios a comprarem vacinas. "Ele não quer comprar um medicamento que pode salvar vidas e pior, está impedindo que os outros comprem", disse o deputado. "Popularidade se perde e se ganha, credibilidade não. A popularidade vai mudar continuando a situação do jeito que está", completou Mauricio.

A situação da COVID-19 em Santa Catarina é preocupante. De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde dessa quinta-feira (04/03), o estado já soma 694.274 casos positivos da doença, sendo 5.674 somente durante as últimas 24 horas. Outras 7.709 mortes e 91 de quarta para quinta-feira.

Já a taxa de ocupação de leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) atingiu 96,12%, a maior da pandemia. Algumas regiões estão sem vagas e pacientes precisam aguardar transferência para outros lugares.



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade