Publicidade

Estado de Minas SPRAY CONTRA COVID

Spray contra COVID: Membros de comitiva não poderão circular por Israel

Liderados pelo ministro Ernesto Araújo, comitiva do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) viaja no sábado (06/03) para Israel


05/03/2021 08:38 - atualizado 05/03/2021 08:58

Comissão para Israel é liderada pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo(foto: Agência Brasil/Reprodução)
Comissão para Israel é liderada pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo (foto: Agência Brasil/Reprodução)
Ao contrário do que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vem divulgando para apoiadores, a comissão enviada por ele para Israel, liderada pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, não poderá circular pelo país. 

Os membros da comitiva, que viajam no próximo sábado (06/03), têm como objetivo estudar uma possível compra do spray para o tratamento contra a COVID-19. Todos ficaram restritos ao hotel e compromissos oficiais.

Isso porque o ministro e sua comitiva deverão seguir os protocolos sanitários que foram estabelecidos pelo governo insraelense. O país é o mais avançado programa de vacinação no mundo.

De acordo com interlocutores, a missão brasileira terá entre oito e dez pessoas.

Na última quarta-feira (3/3), o presidente Jair Bolsonaro confirmou a viagem. “Nossa equipe vai decolar no sábado à noite para Israel. Todas as tentativas foram feitas, acordos e memorandos e agora vai até os hospitais e laboratórios. Por nossa intenção, está tudo acertado para isso”, disse o presidente para apoiadores.

Leia também: Bolsonaro sobre spray nasal: 'Anvisa tem tudo para dar o sinal verde' 

Nas últimas semanas, Bolsonaro tem dito que enviará à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o pedido de liberação emergencial do spray nasal. Ele deseja que a fase 3 experimental do medicamento já aconteça nas próximas semanas.

“Como é para ser usado em quem está hospitalizado, quem está em UTI, eu acho que não tem problema nenhum usar esse spray no nariz do cara. O que é esse spray? Não sei, mas o que acontece: esse produto, há 10 anos, estava sendo investigado, estava sendo estudado para outro tipo de vírus”, explica.
 
Ao comentar o resultado de testes preliminares do medicamento, Bolsonaro disse que 
“parece que é um produto milagroso”.  
 
 

O spray


O “medicamento” que vem sendo defendido pelo presidente, está em estudos iniciais para o combate de infectados pelo novo coronavírus. Até o momento, não existe nenhuma comprovação de eficácia nem aprovação de agências de vigilância sanitárias para o uso contra a COVID-19.

A “nova cloroquina”, o spray ficou conhecido após estudiosos do Centro Hospitalar de Tel Aviv informarem que o medicamento foi aprovado nos primeiros testes executados.

Em contrapartida, o estudo é preliminar e está em fase de sondagem da aplicação à doença, sem compará-lo a um placebo, por exemplo.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade