Publicidade

Estado de Minas POLITICA

Prefeita de Vespasiano toma posse como presidente da Granbel

Ilce Rocha (PSDB) será a presidente pelos próximos dois anos; Marília Campos (PT) vai ser a vice


24/02/2021 13:03 - atualizado 24/02/2021 15:48

Nova direção da Granbel com o governador Romeu Zema, durante posse da nova presidente(foto: Matheus Muratori/EM/D.A Press)
Nova direção da Granbel com o governador Romeu Zema, durante posse da nova presidente (foto: Matheus Muratori/EM/D.A Press)
Tomou posse no início da tarde desta quarta-feira (24/02) como nova presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Granbel) Ilce Rocha (PSDB), prefeita de Vespasiano. A cerimônia de posse contou com 23 prefeitos ou vice-prefeitos das cidades da região, demais autoridades do estado, como o governador Romeu Zema (Novo), e aconteceu na Cidade Administrativa, sede do governo de Minas, na capital mineira.

Em discurso de posse de cerca de 25 minutos, a prefeita de Vespasiano abordou a união da associação e se diz orgulhosa em representar 34 cidades da Região Metropolitana. Ela também cobrou de Zema uma conversa sobre diversos temas, como transporte público metropolitano, vacinação contra a COVID-19, retorno às aulas presenciais - paralisadas por causa da pandemia do novo coronavírus - e enchentes. Ilce substituirá Vitor Penido (DEM), ex-prefeito de Nova Lima, pelos próximos dois anos.

“A Granbel representa seis milhões de pessoas, 25% da população dos eleitos, isso nos deixa muito felizes (...) Precisamos de uma melhora no transporte, não dá para se discutir, isso cai nas nossas costas. Esse problema do transporte intermunicipal é precário e o cidadão que precisa chegar ao serviço, estar tendo o mínimo para se desloque, mas não tem. E não dá para construir sem o governo, só com os municípios quando o empresário também pena. Tem que ser exageradamente discutida com usuário, quem pratica, quem representa e governo (...) Também estou vendo a vacinação caindo nas costas dos municípios. Precisamos que Minas fale, dê voz aos prefeitos”, disse a nova presidente.

Em discurso, Zema prestou contas sobre o mandato, que se iniciou em 2019, e mencionou a realização de repasses municipais. “Temos feito um sacrifício gigantesco, enorme, para pagarmos os 853 municípios. A prestação mensal é R$ 240 milhões. Nos tiram recursos que poderiam estar sendo investidos em outras coisas, mas até dez de 2022 teremos esse ônus e cabe a nós assumirmos (...) Quero lembrar que o grande problema do Estado é o desemprego, e fizemos avanços expressivos. Trouxemos R$ 88 bilhões em investimentos contra R$ 26 bi da gestão anterior. Isso com um ambiente de restrição orçamentária total”.

Completam a equipe da diretoria executiva da Granbel pelos próximos dois anos: Marília Campos (PT-Contagem), vice-presidente; Elvis Presley (Avante-Capim Branco), diretor tesoureiro; Renilton Ribeiro (Republicanos-Mateus Leme), diretor-secretário; e Avimar Barcelos (PV-Brumadinho), diretor-administrativo.

“Estamos discutindo uma agenda que passa pela questão de enchentes, transporte coletivo, principalmente no colar da Região Metropolitana. Temos um transporte coletivo de péssima qualidade e muito caro, a poucos dias o preço em Ibirité metropolitano foi para R$ 11, traz transtornos além da empregabilidade. Pois a empresa não vai querer empregar alguém com uma passagem dessa. Isso traz um impacto muito grande para as cidades, e queremos discutir também isso. Saúde, transporte coletivo, desenvolvimento econômico e questões ambientais”, disse Marília Campos.

Representante da Prefeitura de Belo Horizonte no evento, o vice-prefeito Fuad Noman (PSD) também pregou união e resolução de problemas comuns. Entre as situações citadas, estão o transporte coletivo, as enchentes e a questão socioambiental.

“Uma associação voltada ao desenvolvimento de uma região tão importante merece toda atenção de todos os prefeitos. Nossas fronteiras são invisíveis, entramos em Contagem e Betim. Uma associação forte, capaz de defender os interesses metropolitanos, pois tem interesse de energia, transportes, enchentes, que precisam ser tratadas de forma única. Esse encontro vem fortalecer esse conceito metropolitano, pois doença não faz fronteira, água não faz fronteira e temos que trabalhar juntos para fortalecer isso e resolver juntos”, afirmou.

“Vejo a questão das enchentes um problema seríssimo metropolitano. O transporte coletivo, a água, tivemos aqui na região um problema sério de vazamento de represa com consequências muito grandes. Estamos ouvindo falar agora de Rodoanel, que é um interesse que afeta dez municípios da região. Tem muito tema para tramitar, e a presidente fará isso com muita competência”, completou o vice-prefeito de BH.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade