Publicidade

Estado de Minas CÂMARA DOS DEPUTADOS

'Aconteceu comigo. Pode acontecer com vocês', diz Daniel Silveira

Declaração foi feita durante sessão da Câmara que decide se mantém ou não a ordem de prisão contra o deputado


19/02/2021 18:35 - atualizado 19/02/2021 18:49

Durante discurso de resposta, Daniel afirmou que nada 'justifica suas falas' mas fez uma súplica para que os deputados não relativizem a imunidade parlamentar(foto: Tv Câmara/Reprodução)
Durante discurso de resposta, Daniel afirmou que nada 'justifica suas falas' mas fez uma súplica para que os deputados não relativizem a imunidade parlamentar (foto: Tv Câmara/Reprodução)
Em resposta ao voto da relatora do caso Daniel Silveira, deputada federal Magda Mofatto (PL-GO), o parlamentar voltou a se desculpar com o Brasil. “Respeito a relatoria, mas discordo. Não estou aqui para ser demagogo e hipócrita. Já pedi desculpas.”, declarou.

Durante discurso de resposta, Daniel afirmou que nada "justifica suas falas" mas fez uma súplica para que os deputados não relativizem a imunidade parlamentar. “Faço um apelo, uma súplica aliás, não relativizam a imunidade parlamentar. A relativização dessa imunidade por ter consequências gravíssimas. Hoje o deputado Daniel Silveira está preso. Errou? assumiu o erro. Quer seguir lutando? Siga lutando”, discursa. “Aconteceu comigo. Pode acontecer com vocês”, completa.
 
“Nenhuma autoridade está imune a críticas. Seja ela o presidente da República, integrantes do Legislativo, do Supremo ou do Ministério Público”, disse a deputada. “Mas temos entre nós um deputado que vive a atacar a democracia e instituições e faz do seu mandato uma plataforma para atacar e incitar violência contra autoridades públicas”.
 
Silveira foi preso na noite de terça-feira (16/02), por ordem de Moraes, por fazer ameaças a ministros do STF e ao Estado Democrático de Direito. Em nota, a assessoria jurídica do deputado disse que a prisão seria um ataque à "liberdade de expressão". 
 
Na quarta-feira (17/02), os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) votaram a favor da manutenção da prisão do deputado. De forma unânime, os ministros apoiaram a decisão do ministro Alexandre de Moraes.
 
Agora, como manda a lei, a Câmara vota se mantém ou derruba a prisão, por se tratar da prisão em flagrante de um deputado.

Veja a sessão ao vivo

 
   
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade