Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Com piora na pandemia, popularidade de Bolsonaro despenca, aponta Datafolha

A pesquisa Datafolha foi realizada nos dias 20 e 21 de janeiro


22/01/2021 18:54 - atualizado 22/01/2021 20:23

Cresce a rejeição a Jair Bolsonaro no Brasil, segundo a pesquisa Datafolha (foto: Agência Brasil/Reprodução)
Cresce a rejeição a Jair Bolsonaro no Brasil, segundo a pesquisa Datafolha (foto: Agência Brasil/Reprodução)
A reprovação ao governo de Jair Bolsonaro (sem partido) aumentou em meio ao agravamento da crise de gestão da pandemia de COVID-19 no Brasil. É o que aponta a nova pesquisa Datafolha, realizada nos dias 20 e 21 de janeiro. 

Na pesquisa, o presidente foi avaliado como ruim ou péssimo por 40% da população, ante 32% dos que tiveram tal opinião em dezembro de 2020.

O percentual de entrevistados que acham a administração do presidente ótima ou boa caiu de 37% para 31%. 

Ainda segundo o Datafolha, 26% das pessoas ouvidas consideram que Bolsonaro é regular, contra 29% anteriormente.
 
De acordo com levantamento, 53% dos entrevistados rejeitam o impeachment de Bolsonaro e 42% são favoráveis.
 

Declarações de Bolsonaro

O Datafolha também questionou o grau de confiança dos entrevistados em relação às declarações de Bolsonaro.
  • Nunca confiam: 41% (eram 37% na pesquisa anterior)
  • Às vezes confiam: 38% (eram 39%)
  • Sempre confiam: 19% (eram 21%)
  • Não sabem: 2% (eram 3%) 

 
Próximo ao pior cenário  

 
Jair Bolsonaro mantinha até 8 de dezembro de 2020 o melhor nível de avaliação de seu mandadato, 37%. Agora, em janeiro de 2021, ele chega próximo sao pior cenário de popularidade. 
 
Até o momento, o  pior número foi registrado em junho de 2020, quando 44% o rejeitavam e 32% aprovavam o governo.

 
Pesquisa 

 
O instituto ouviu, por telefone, 2.030 pessoas em todo o Brasil. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. 



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade