Publicidade

Estado de Minas SENADO

Escolha contra Pacheco no Senado gera 'climão' em partido em Minas

Cidadania apoiará Simone Tebet (MDB-MS), rival de Rodrigo Pacheco (DEM-MG) na disputa pelo Senado


14/01/2021 12:46 - atualizado 14/01/2021 14:26

Simone Tebet (MDB-MS) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG) disputam a presidência do Senado(foto: Edilson Rodrigues/Senado Federal)
Simone Tebet (MDB-MS) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG) disputam a presidência do Senado (foto: Edilson Rodrigues/Senado Federal)
A opção do Cidadania em apoiar a senadora Simone Tebet (MDB-MS) na disputa pela presidência do Senado Federal gerou um “climão” na cúpula do partido em Minas Gerais. Isso porque Tebet vai disputar, em 2 de fevereiro, a Mesa Diretora contra o mineiro Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

O Cidadania conta com três senadores: um goiano (Jorge Kajuru), uma maranhense (Eliziane Cunha) e um sergipano (Alessandro Vieira).  O diretório estadual do Cidadania em Minas Gerais, presidido pelo deputado estadual João Vítor Xavier (Cidadania), divulgou um comunicado pouco tempo depois do apoio declarado da legenda.

“O Cidadania-MG respeita, mas lamenta, a decisão da bancada do nosso partido no Senado, que decidiu pelo apoio à candidatura da senadora Simone Tebet (MDB-MS) à presidência da Casa. O senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) é um grande aliado do nosso partido em Minas. Nas eleições municipais de 2020 tivemos a parceria dele em cidades importantes do estado, citando, como exemplo, as campanhas do presidente estadual João Vítor Xavier na capital e de Humberto Souto em Montes Claros”, divulgou o partido.

A definição de apoios na disputa pela presidência do Senado acontece por blocos partidários, e não pela região. Apesar disso, os outros dois mineiros no Senado, Antonio Anastasia e Carlos Viana, ambos do PSD, votarão no conterrâneo Pacheco.

“Com espírito republicano, conciliador e honrando as melhores tradições da política mineira, o senador Rodrigo Pacheco se propõe a construir um projeto de união nacional a partir da presidência do Senado. E ele já nos dá mostras de sua capacidade para executar tal tarefa, ao aglutinar em torno de sua candidatura partidos do governo e da oposição. Desde a morte do ex-presidente Itamar Franco, o partido em Minas Gerais não tem representação no senado. Mas isso não nos impede de manifestar, de forma clara e respeitosa, nosso posicionamento”, finaliza o comunicado do Cidadania.

Para vencer a disputa no Senado, o candidato precisa de 41 dos 81 votos. Com os apoios já anunciados, Pacheco conta com 38 votos, enquanto Tebet corre contra o tempo para buscar aliados. A votação é secreta, o que pode mudar o cenário pré-estabelecido.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade