Publicidade

Estado de Minas LESTE DE MINAS

Zema diz que pequenos empresários não precisam mais pedir bênção ao Estado

Governador esteve na abertura da Feira Internacional de Pedras Preciosas, em Teófilo Otoni


10/11/2020 19:40 - atualizado 10/11/2020 19:48

Romeu Zema também elogiou o comportamento do povo mineiro diante da pandemia, sempre adotando medidas de combate ao novo coronavírus(foto: Reprodução Redes Sociais)
Romeu Zema também elogiou o comportamento do povo mineiro diante da pandemia, sempre adotando medidas de combate ao novo coronavírus (foto: Reprodução Redes Sociais)
O Governador Romeu Zema (NOVO) participou da solenidade de abertura da 30ª Feira Internacional de Pedras Preciosas  (FIPP), em Teófilo Otoni, Leste de Minas. Em seu discurso, reconheceu o esforço dos organizadores do evento, mas falou de forma abrangente sobre ações do seu governo para ajudar a todos que querem realizar e trabalhar honestamente, afirmando que essa ajuda significa “não atrapalhar”. 

“Nós só devemos parar de atrapalhar. Se nós fizermos isso, já estaremos contribuindo muito. Venho do setor privado e dediquei a minha vida inteira, até três anos atrás ao setor produtivo e sei como o estado exige muito, mas hoje, o governo é um dos grandes artífices de mudanças”, disse. 

Entre as mudanças, o governador afirmou que o estado deixou de exigir alvarás de funcionamento para mais de 640 atividades. “Não queremos que ninguém que queira trabalhar honestamente fique pedindo benção para o Estado”, disse, lembrando que  “não é justo alguém querer trabalhar honestamente, criar empregos e a fiscalização do estado vir para exigir projeto disso, licença daquilo, e às vezes tudo isso leva anos para ser analisado”.
  
Mais uma vez, Zema disse que pegou um estado quebrado, e que apesar de todas as dificuldades promoveu avanços significativos, especialmente no período da pandemia do novo coronavírus. “Minas Gerais, nesta pandemia, é o estado entre todos do Brasil, que tem a menor taxa de óbito”, afirmou o governador.  Para ele, se o Brasil tivesse a mesma taxa de óbitos de Minas Gerais, 70 mil vidas teriam sido poupadas entre os óbitos registrados em todo o Brasil.

Fazendo referência aos organizadores da FIPP, Zema que o evento, embora tenha o menor público de sua história, é o retrato do comportamento do povo mineiro durante a pandemia. E elogiou a organização por tomar todas as medidas de precaução para evitar a propagação da COVID-19. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade