Publicidade

Estado de Minas REELEIÇÃO BARRADA

Prefeito de Poços de Caldas tem candidatura cassada pela Justiça Eleitoral

Segundo o Ministério Público, Sérgio Azevedo (PSDB) cometeu crime de abuso de poder público; ele também deve ficar inelegível por oito anos


26/10/2020 13:37 - atualizado 26/10/2020 14:23

Prefeito diz que continua campanha à reeleição.(foto: Foto Divulgação)
Prefeito diz que continua campanha à reeleição. (foto: Foto Divulgação)

O prefeito de Poços de Caldas, no Sul de Minas, Sérgio Azevedo (PSDB) teve a candidatura à reeleição cassada pela Justiça Eleitoral. A decisão, publicada no fim de semana, também determinou a inelegibilidade do candidato por oito anos.

 

A sentença foi dada após denúncia proposta pelo Ministério Público de crime de abuso de poder público. Sérgio teria participado da inauguração de unidades habitacionais do programa ‘Minha Casa Minha Vida’ no mês passado.

 

Ainda segundo a investigação, a atitude afetou a igualdade de oportunidades entre os candidatos nos pleitos eleitorais já que ele teria feito uso promocional de um serviço custeado pelo Poder Público.

 

Após a decisão judicial, o prefeito e candidato divulgou um vídeo nas redes sociais onde afirmou que a ocasião não se tratava de um evento. “A prefeitura apenas cedeu um local para reunião entre os envolvidos no projeto e não se tratava de uma inauguração”, disse o prefeito.

 

Ele também informou que apareceu na reunião de maneira informal.  “Eu estive no local apenas para prestar apoio. Não gravei entrevista, não usei microfone, não fui anunciado. A maioria das pessoas nem percebeu que eu estava lá”, continuou Sérgio.

Ao todo, Poços de Caldas tem nove candidatos a prefeito da cidade. Foto mostra Praça do Hotel Palace, ponto turístico local(foto: Wikimedia commons)
Ao todo, Poços de Caldas tem nove candidatos a prefeito da cidade. Foto mostra Praça do Hotel Palace, ponto turístico local (foto: Wikimedia commons)

 

Apesar de ter o registro de candidatura cassado e ficar inelegível, Sérgio afirmou que vai continuar com a campanha. A advogada do candidato Fernanda Soares disse que considera a sentença desproporcional e injusta. Ela já recorreu da decisão.

(Helena Lima/Especial para o EM)


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade