Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Após juiz manter decisão, recurso de Engler para ter coronel reformada da PM como vice segue para o TRE

Candidato do PRTB diverge do nome escolhido pelo partido para ser postulante a vice-prefeito


06/10/2020 19:09 - atualizado 06/10/2020 19:35

Aos 23 anos, Bruno Engler tem o apoio de Bolsonaro; ele aposta na boa relação com o presidente para atrair votos.(foto: Henrique Chendes/ALMG)
Aos 23 anos, Bruno Engler tem o apoio de Bolsonaro; ele aposta na boa relação com o presidente para atrair votos. (foto: Henrique Chendes/ALMG)
O juiz Henrique Oswaldo Pinto Marinho, da 39° Zona Eleitoral de Belo Horizonte, não concordou com os termos do recurso apresentado por Bruno Engler (PRTB) para ter a coronel reformada da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), Cláudia Romualdo, como vice na chapa que disputa a Prefeitura de Belo Horizonte. Agora, o caso segue para o Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Inicialmente, o PRTB registrou, na Justiça Eleitoral, parceria formada por Engler e o presidente da legenda em Belo Horizonte, Mauro Quintão. O deputado estadual, contudo, discorda da composição e diz que a decisão viola acordo com o presidente nacional do partido, Levy Fidélix.

Ao manter a decisão inicial, publicada na semana passada, o magistrado alegou que não há "falha, omissão, indício de que se trata de candidatura requerida sem autorização ou ausência de documentos necessários à instrução do pedido ou mesmo existência de impedimento à candidatura”.

Como o imbróglio não foi resolvido internamente, o candidato optou pela via judicial. Agora, o caso chega ao TRE, que definiu o desembargador Octávio Boccalini como relator do processo.

Ao Estado de Minas, o advogado de Engler, Luiz Márcio Siqueira, garantiu que, se preciso for, o cliente vai apelar ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Vamos até a última instância. Enquanto houver possibilidade, vamos sustentar juridicamente a manutenção da chapa. Portanto, a Coronel Cláudia poderá fazer campanha sub judice”, disse.

À reportagem, Mauro Quintão criticou a postura de Engler. “A executiva municipal tem o direito e competência de apresentar os candidatos definidos em convenção. Nós seguimos rigorosamente o estatuto e a lei, ao contrário do candidato Bruno Engler. Ele está filiado à nossa sigla e não é dirigente partidário”, afirmou.

Segundo o advogado do candidato a prefeito, se o caso não for resolvido até o primeiro turno da eleição, em 15 de novembro, a tendência é que a chapa chegue às urnas com dois vices. 

No último dia 28, Engler concedeu entrevista coletiva ao lado de Cláudia e cobrou posicionamento de Fidélix. Bolsonarista, o deputado estadual disse, ainda, ter ido até São Paulo para conversar com o dirigente — em vão: ele disse não ter sido recebido.

O PRTB é o partido do vice-presidente da República, Hamilton Mourão. Além de Bruno Engler, outros 14 nomes registraram candidaturas à prefeitura da capital mineira.

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade