Publicidade

Estado de Minas ELEIÇÕES 2020

Após registro duplo de candidatura à PBH, Bruno Engler se diz vítima de 'pilantragem' e 'maracutaia'

Candidato do PRTB se desentendeu com diretoria da legenda por causa da escolha do vice da chapa


27/09/2020 18:00 - atualizado 27/09/2020 18:34

(foto: Bruno Engler, candidato 'duas vezes' à Prefeitura de BH)
(foto: Bruno Engler, candidato 'duas vezes' à Prefeitura de BH)
Desentendimentos e ataques durante a campanha eleitoral, infelizmente, são corriqueiros na política brasileira. Curiosamente, a corrida eleitoral para a Prefeitura de Belo Horizonte começou com uma discórdia interna envolvendo a candidatura de Bruno Engler (PRTB).



Em vídeo publicado nas redes sociais, Engler atacou o que chamou de “pilantragem” e “puxada de tapete das mais malandras”, por parte do PRTB por causa da escolha do candidato a vice.
Isto porque Engler queria como sua vice a Coronel Cláudia Araújo Romualdo, enquanto a legenda escolheu o Mauro Quintão como nome.

O desentendimento fez com que a candidatura de Engler fosse registrada duas vezes no sistema do Tribunal Regional Federal de Minas Gerais.

No desabafo postado nas redes, Bruno Engler diz ter sido “sabotado” pelo próprio partido.

“Eu me filiei ao PRTB, partido que não passou na cláusula de barreira, não tem tempo de TV. Mas, antes de me filiar, eu fiz um acordo com o presidente Levy Fidelix que eu teria autonomia para gerir mina candidatura. Seja para trazer outros partidos, seja para escolher o vice. Nós fizemos uma costura e conseguimos trazer um partido que nos daria tempo de TV e nos garantiria no debate. O meu próprio partido sabotou esse acordo. Semana passada eu fui pego de surpresa quando o presidente municipal do PRTB me informou que ele colocaria seu nome como candidato a vice, contrariando o acordo que fiz com Levy Fidelix”, declarou o candidato.

Ele disse, ainda, que procurou a direção nacional do partido, mas que não foi recebido. E mais uma vez usou palavras fortes para descrever a “maracutaia” da qual afirma ser vítima.

“Eu liguei para o Fidelix várias vezes, ele não me atendeu, nem me retornou. Eu fui a São Paulo falar com ele e ele não me recebeu. E eu prefiro acreditar que ele não sabe da sacanagem que está sendo feita comigo em Belo Horizonte, apesar de que o senhor Mauro Quintão afirma que tem a benção da nacional. Eu quero deixar um recado àqueles que têm esperança nessa candidatura e acreditam na mudança de Belo Horizonte. Eu não vou aceitar pilantragem de dirigente partidário que quer impor suas vontades para levar vantagem indevida em um projeto que é nosso. Eu fui ao TRE e registrei a chapa com a vice que eu escolhi, a Coronel Cláudia. E faço aqui um pedido público ao senhor Levy Fidelix: que se manifeste! Se de fato está envolvido nessa maracutaia de Mauro Quintão ou se o nome dele está sendo usado indevidamente”, disse Engler.

CLIQUE AQUI E VEJA O BALANÇO FINAL DAS CANDIDATURAS À PBH


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade