Publicidade

Estado de Minas Gastos com saúde

Vereadores de Vespasiano querem CPI para investigar uso de recursos no combate à COVID-19

Prefeitura alegou que todos os gastos estão disponíveis no site do TCE-MG


06/10/2020 18:03 - atualizado 06/10/2020 18:10

(foto: Wikipédia/Reprodução )
(foto: Wikipédia/Reprodução )
Um grupo de vereadores de Vespasiano se mobilizou para cobrar a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar os gastos da administração municipal durante a pandemia do COVID-19. Os vereadores alegam que poucas ações de combate e prevenção foram realizadas no município.
Em um documento assinado pelos vereadores Ederaldo Boffo, Geraldo Magela, Heberth Rodrigues, Marta Mansur, Philippe Fonseca e Reinaldo Alves, o grupo afirma que vários pedidos formais de Prestação de Contas foram feitos, mas até o momento, a Prefeitura não forneceu informações sobre os gastos realizados para o combate ao vírus.

No site do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG), é possível ter acesso aos contratos e gastos realizados pelo município de Vespasiano durante a pandemia. A atual administração declarou, até o momento, gastos no valor de cerca de R$6 milhões em aquisição de material médico, medicamentos, estruturação de leitos de retaguarda e respiradores.

No texto, o grupo de vereadores afirma que há indícios de que os respiradores anunciados pela Prefeitura, na verdade, nunca foram comprados. Segundo os vereadores que apoiam a instalação da CPI, os respiradores mostrados nas redes sociais pela Prefeitura, seriam aparelhos antigos da UPA da cidade.

De acordo com o presidente da Câmara Municipal de Vespasiano, Zé Wilson (PSC), o requerimento de abertura de CPI ainda não foi protocolado na casa. 

Nota da prefeitura  

Por meio de nota, a Prefeitura de Vespasiano alegou que ainda não foi comunicada oficialmente sobre a instauração de uma CPI. Através da assessoria, a atual administração municipal alegou que com a verba enviada para combate à COVID-19, entre outras ações, implantou 10 leitos de UTI e disponibilizou 40 leitos para atendimento de internação de média complexidade, além da compra de três respiradores.

A prefeitura esclareceu que todos os gastos com ações de combate à COVID-19 estão sendo contabilizados separadamente e estão disponibilizados no site do TCE-MG, de acesso a qualquer cidadão.

O Estado de Minas tentou contato com os vereadores responsáveis pelo documento, mas até o fechamento da reportagem, não obteve retorno.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade