Publicidade

Estado de Minas PEIXE FRITO

'Não fomos reivindicar nada', diz empresário que levou almoço para Bolsonaro no Alvorada

Fundador da rede de restaurantes Coco Bambu levou frutos do mar e pescado para o presidente


08/08/2020 20:43 - atualizado 08/08/2020 21:07

Representantes da Coco Bambu em encontro com o presidente Jair Bolsonaro(foto: Divulgação)
Representantes da Coco Bambu em encontro com o presidente Jair Bolsonaro (foto: Divulgação)
Um mês e dez dias depois de ter ido ao Ceará para celebrar a chegada das águas do rio São Francisco ao estado, via transposição, o presidente Jair Bolsonaro recebeu nessa quarta-feira a visita do empresário Afrânio Barreira, fundador da rede de restaurantes Coco Bambu, nascida em Fortaleza, que estava acompanhado de quatro diretores do grupo, para um almoço de frutos do mar e pescado levados pelos visitantes. O encontro foi agendado pela deputada federal Bia Kicis, ex-líder do governo no Congresso Nacional, e amiga do presidente, que apresentou o empresário cearense a Bolsonaro.

Nós não fomos reivindicar nada, apenas prestar nosso apoio ao governo e desejar boa sorte ao presidente para que consiga desenvolver um bom trabalho superando as dificuldades nesses tempos de pandemia", comentou Afrânio Bezerra, que entregou a Bolsonaro um exemplar do Anuário Coco Bambu, lançado este mês, com a descrição e fotos de todos os restaurantes.

A rede, que começou com uma pastelaria e se especializou em pescados e frutos do mar, há 31 anos, hoje ostenta 45 unidades pelo Brasil. Chegou até a abrir uma operação em Miami, mas fechou as portas no primeiro ano. Desde o início da campanha eleitoral, o candidato à presidência da República, Bolsonaro contou com a simpatia e apoio do grupo cearense, a exemplo de outros gigantes do setor econômico, como a rede de lojas Havan.

"Nós somos um dos maiores grupos empresariais do setor de alimentação do país, então é natural que torçamos para que o Brasil avance e aumente o número de empregos", disse Beto Pinheiro, um dos quatro sócios da rede na Capital, presentes ao almoço. Os outros três foram Daniel Chehab, Eilson Studart e Igor Fernandes. Os cinco empresários estiveram no Palácio da Alvorada acompanhados de suas respectivas mulheres. A primeira dama Michele Bolsonaro, que se recupera da Covid 19, guarda isolamento.

Peixe frito

No almoço, os sócios-proprietários de estabelecimentos da grife gastronômica tiveram o cuidado de selecionar, além de uma salada variada, três pratos nos quais o principal ingrediente vem bem cozido. É notória a aversão de Bolsonaro por peixe cru, desde a visita que fez ao Japão em outubro do ano passado, quando lhe foi oferecida a iguaria típica do arquipélago nipônico e ele rejeitou, explicando: "Eu só como peixe frito".

Daí a pescada amarela ter sido feita no forno com leve molho amanteigado de tomates cerejas, alcaparras, vinho branco e manjericão. É servida com batatas assadas igualmente no forno. Chamado peixe amalfitana, o prato foi um dos tops oferecido no restaurante pelo Dia das Mães por R$ 186 para duas pessoas. No Alvorada, ganhou ainda acompanhamento de arroz e farofa de banana.

De consistência cremosa, o segundo prato — bobó de camarão — é feito com o crustáceo refogado no azeite de dendê, com tomate, cebola, pimentões, misturados com purê de mandioca (macaxeira cozida, no menu), cheiro verde e leite de coco. No restaurante, o prato é servido com arroz branco e purê de abóbora gratinado com queijo coalho a partir de R$ 177 para até quatro pessoas. Quem esteve próximo à mesa viu que Bolsonaro deu preferência à salada e ao prato de camarão.

Completou o cardápio um empadão, também de camarão, que segundo o próprio condutor da iguaria, "estava uma delícia", disse Beto Pinheiro, que é presidente da Abrasel-DF, a entidade que congrega bares e restaurantes no Distrito Federal e está promovendo um festival de delivery até o dia 20 deste mês com a participação de mais de cem associados.

Acompanhado da mulher, Daniela Barreira, que também é sócia da rede, Afrânio contou ao presidente que planeja abrir em 2021 mais 12 operações em diversas unidades da Federação, estando já com a dúzia de contratos devidamente assinados. Em Brasília, a rede tem quatro lojas: Lago Sul, ParkShopping, Brasília Shopping e Águas Claras.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade