UAI
Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Zema dá mais um passo para privatização da Copasa

Venda da estatal pode significar perda da concessão para fornecimento de água para Belo Horizonte


26/05/2020 21:36 - atualizado 26/05/2020 21:54

A privatização da Copasa e da Cemig são desejos do governador Romeu Zema(foto: Divulgação/Copasa)
A privatização da Copasa e da Cemig são desejos do governador Romeu Zema (foto: Divulgação/Copasa)

O Governo de Minas deu, nesta terça-feira, mais um passo no processo de privatização da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). Por meio de um comunicado oficial de "fato relevante", a Copasa informou a seus acionistas e ao mercado em geral que o Governo Estadual está autorizado a realizar consulta “visando à contratação de serviços técnicos necessários à estruturação e implementação do processo de desestatização” da empresa.

A desestatização de empresas como Copasa e Cemig são desejos do governador Romeu Zema (Novo). Em novembro do ano passado, o governo estadual editou o Decreto 47.766/19, implementando a Política Estadual de Desestatização e criando o Conselho Mineiro de Desestatização (CMD).

Fim do contrato com a PBH

A venda da Copasa pode significar o fim da prestação de serviços para a Prefeitura de Belo Horizonte, que, atualmente, paga à estatal R$400 milhões por ano.

O Estado de Minas apurou que no contrato com a PBH existe a previsão de que, em caso de privatização da Copasa, a concessão para fornecimento de água para a capital não seguirá para o comprador da empresa. Neste caso, o direito sobre os serviços de saneamento seguiriam para o Município.



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade