Publicidade

Estado de Minas CRIME

PM realiza apreensão em casa de jogos no Centro de Belo Horizonte

Casas de jogos de azar já eram monitoradas e estavam funcionando em plena pandemia de COVID-19


postado em 22/05/2020 14:27 / atualizado em 22/05/2020 18:13

(foto: Leandro Couri/EM/DA press)
(foto: Leandro Couri/EM/DA press)
Uma equipe com 12 policiais da 6ª Companhia da PM realizou a apreensão de cinco pessoas em três casas de jogos ilegais, já antes flagradas pelo mesmo delito, na região do Hipercentro de Belo Horizonte, na manhã desta sexta feira (22). Foram confiscadas 13 máquinas caça-níqueis, duas máquinas eletrônicas para apostas, R$ 2.088,85 em dinheiro, uma CPU e vários quadros com os palpites para os jogos do dia. Uma das pessoas conduzidas já havia sido flagrada no mesmo local, há 10 dias.

Segundo o tenente Washington Junior Amaral, embora seja uma operação de rotina, que não tem relação direta com o decreto municipal por conta da pandemia de COVID-19, o problema é recorrente. "Especialmente neste momento de isolamento e que ainda existe um decreto com orientações específicas, essas pessoas que não exercem uma atividade essencial e, neste caso, ainda ilícita, praticam  ainda um comportamento, do ponto de vista de saúde pública, que não é o mais recomendado, colocando em perigo as estratégias do isolamento social", explica.

Pela lei, mesmo em caso de reincidência, a pessoa não vai presa. As penas variam entre multas e/ou prestação de serviço comunitário. "Infelizmente, por motivos juridicos, a pessoa volta a praticar a contravenção, pois a pena não tem a força de impedir que a pessoa volte", explica o tenente, que completa: "Mesmo sendo reinscidentes, não ficam presos e, por isso, nosso monitoramento é constante".

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade