Publicidade

Estado de Minas SECRETÁRIA DE CULTURA

Wagner Moura sobre Regina Duarte: 'Também é nazista'

Ator comparou Secretária de Cultura a seu antecessor Roberto Alvim, demitido após discurso semelhante ao de ministro de Hitler


postado em 19/05/2020 19:49 / atualizado em 19/05/2020 20:18

Wagner Moura: 'Errei. Regina Duarte, assim como seu predecessor, também é nazista'(foto: Bob Wolfenson / Divulgação)
Wagner Moura: 'Errei. Regina Duarte, assim como seu predecessor, também é nazista' (foto: Bob Wolfenson / Divulgação)
A atriz e atual secretária especial de Cultura do governo, Regina Duarte, continua sendo alvo de críticas de seus pares da classe artística. Desta vez, foi o ator Wagner Moura que desaprovou a conduta da secretária na condução do cargo, chamando-a de “nazista”.

Em entrevista à revista Marie Claire, publicada nesta terça-feira, Moura mudou sua opinião sobre Regina e a comparou a seu antecessor, Roberto Alvim. O ex-secretário foi demitido do cargo após fazer um discurso semelhante ao de Joseph Goebbels, ministro da Propaganda da Alemanha Nazista de Adolf Hitler.

Há um mês, em entrevista à mesma 
Marie Claire, Wagner Moura criticou o trabalho de Regina, mas entendia que ela não era nazista como Roberto Alvim. "Discordo de tudo o que ela fala, mas não acho que a gente tenha de escolher a Regina Duarte como alvo. Se ela acha que está fazendo algo pela arte, que bom que tem alguém lá que não seja um nazista".

Mas, nesta terça, Moura mudou de opinião: Errei. Regina Duarte, assim como seu predecessor, também é nazista”.

novo posicionamento de Wagner Moura se deveu principalmente à postura de Regina em entrevista recente à CNN Brasil, em que a secretária relativiza os mortos pela ditadura e as vítimas de Covid-19, e ainda minimizou a ditatura.

Regina Duarte durante entrevista à CNN que desencadeou série de críticas de sua classe(foto: Reprodução)
Regina Duarte durante entrevista à CNN que desencadeou série de críticas de sua classe (foto: Reprodução)

Artistas contra Regina

Após a polêmica entrevista de Regina Duarte à CNN, em que a secretária discutiu com jornalistas e se negou a ouvir um áudio da também atriz Maitê Proença, mais de 500 artistas, intelectuais e produtores culturais divulgaram uma carta de repúdio a tais atitudes.

No grupo que assinou o manifesto, estão nomes consagrados como Chico Buarque, Marco Nanini, Laís Bodanzky, Caetano Veloso, Denise Fraga, Luiz Fernando Veríssimo, Emicida, Celso Frateschi, Andrea Beltrão, Camila Pitanga, Adriana Esteves, Fernando Meirelles, Marieta Severo, Ignácio de Loyola Brandão, Zé Celso Martinez Corrêa, , Marcelo Serrado, Maria Adelaide Amaral, Marília Gabriela, Marina Lima, Miguel Falabella e Rita Lee.

Segundo eles, não serão aceitos “ataques reiterados à arte, à ciência e à imprensa”, nem admitida a “destruição do setor cultural ou qualquer ameaça à liberdade de expressão”.

VEJA ABAIXO A ÍNTEGRA DA NOTA:

Somos artistas brasileiros e fazemos parte da maioria de cidadãs e cidadãos que defende a democracia e apoia a independência das instituições para fazer valer a Constituição de 1988.

Fazemos parte da maioria que entende a gravidade do momento que estamos vivendo e pedimos respeito aos mortos e àqueles que lutam pela própria sobrevivência no país devastado pela pandemia e pela nefasta ineficiência do poder público.

Fazemos parte da maioria de brasileiros que não tolera os crimes cometidos por qualquer governo, que repudia a corrupção e a tortura e que não deseja a volta da ditadura militar.

Fazemos parte da maioria que não aceita os ataques reiterados à arte, à ciência e à imprensa, e que não admite a destruição do setor cultural ou qualquer ameaça à liberdade de expressão.

Como artistas, intelectuais e produtores culturais, formamos a maioria que repudia as palavras e as atitudes de Regina Duarte como Secretária de Cultura. Ela não nos representa.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade