UAI
Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Contrariando o isolamento, milhares se aglomeram em Brasília, em ato pró-Bolsonaro

Manifestantes começaram com carreata, mas depois saíram dos veículos


postado em 03/05/2020 14:15 / atualizado em 03/05/2020 14:38

Jair Bolsonaro participou de manifestação neste domingo, na rampa do Planalto(foto: Reprodução/Facebook)
Jair Bolsonaro participou de manifestação neste domingo, na rampa do Planalto (foto: Reprodução/Facebook)
O domingo foi de manifestação de apoiadores de Jair Bolsonaro (sem partido) em Brasília. Após grande carreata, milhares de pessoas se aglomeraram em frente à rampa do Palácio do Planalto em um ato de apoio ao presidente da República.

Ignorando as recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre isolamento social para conter a disseminação da COVID-19, uma multidão de apoiadores se formou no local.

Protegido por uma grade, Bolsonaro desceu a rampa do Planalto e desfilou a pé diante dos manifestantes, acompanhado de alguns políticos de seu núcleo de apoiadores, como os deputados Eduardo Bolsonaro, Bia Kicis e Hélio Lopes, o Hélio ‘Negão’, todos do PSL.

Sem máscara e junto com o presidente (que também não usava o equipamento), estava Laura Bolsonaro, sua filha, de 9 anos, que caminhou a uma pequena distância da grade, de mãos dadas com o pai.


Fora dos carros

O ato deste domingo em Brasília começou com uma carreata pela manhã. Mas, no começo da tarde, as pessoas deixaram os veículos e se juntaram em frente à rampa do Planalto.

Entre os manifestantes, várias faixas de “Fora Maia” e “Fora STF”, em ataque ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e ao Supremo Tribunal Federal.

A manifestação foi uma espécie de resposta dos apoiadores de Bolsonaro, no dia seguinte ao ex-“super ministro” da Justiça, Sergio Moro, mais novo desafeto do presidente, ter prestado depoimento em Curitiba. O ex-juiz da Operação Lava-Jato foi à capital paranaense para ser ouvido em um inquérito que investiga a suposta prática de crimes por Bolsonaro, denunciados pelo próprio Moro.

Ao final da manifestação, Bolsonaro afirmou que as Forças Armadas estão com ele.

“Encerrando aqui um movimento espontâneo em Brasília, com a certeza que o povo quer realmente está ao lado da verdade, do desenvolvimento, da democracia e da honestidade. O Poder Executivo está unido no principal propósito de tirar o Brasil da situação que se encontra. O povo está conosco, as Forças Armadas do lado da lei e da ordem, democracia e liberdade também estão conosco. E Deus acima de tudo”, disse o presidente.

Ele completou dando uma espécie de ultimato aos demais poderes da República – Judiciário e Legislativo – com quem tem se desentendido nas últimas semanas, especialmente com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia e com o ministro Alexandre de Moraes, do STF.

“Vamos tocar o barco. Peço a Deus que não tenhamos problemas esta semana. Porque chegamos no limite. Não tem mais conversa. Daqui para frente, não só exigiremos, faremos cumprir a Constituição. Ela será cumprida a qualquer preço. E ela tem dupla mão, não é de um lado só não. Amanhã nomeamos novo diretor da PF e o Brasil segue seu rumo”, afirmou o presidente.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade