UAI
Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Carreata pró-Bolsonaro é recebida com ovos de opositores no bairro de Lourdes, em BH

Movimento se dissipou em frente à casa do prefeito Alexandre Kalil, no bairro nobre da capital mineira


postado em 26/04/2020 18:10 / atualizado em 26/04/2020 20:09

Manifestantes pró-Bolsonaro dirigiram ataques verbais ao prefeito de BH, Alexandre Kalil(foto: Túlio Santos/EM/D. A Press)
Manifestantes pró-Bolsonaro dirigiram ataques verbais ao prefeito de BH, Alexandre Kalil (foto: Túlio Santos/EM/D. A Press)
A carreata a favor do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), foi recebida com ovos atirados por opositores em Lourdes, bairro nobre da Região Centro-Sul de Belo Horizonte. A manifestação, ocorrida entre a tarde e a noite deste domingo, terminou em frente à casa de Alexandre Kalil (PSD), prefeito de Belo Horizonte.

Ver galeria . 16 Fotos Fotos da manifestação pró-Bolsonaro, neste domingo, em Belo Horizonte. Participantes atacaram ex-ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro; presidente da Câmara, Rodrigo Maia; presidente do Senado, Davi Alcolumbre; e prefeito de Belo Horizonte, Alexandre KalilTúlio Santos/EM/D. A Press
Fotos da manifestação pró-Bolsonaro, neste domingo, em Belo Horizonte. Participantes atacaram ex-ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro; presidente da Câmara, Rodrigo Maia; presidente do Senado, Davi Alcolumbre; e prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (foto: Túlio Santos/EM/D. A Press )

Ao chegarem ao bairro de Lourdes, ponto final da carreata, os bolsonaristas foram surpreendidos por ovos atirados dos prédios por opositores do presidente.

As 'ovadas' causaram indignação nos integrantes do movimento favorável ao governo federal.

Ovos atirados de prédios do bairro de Lourdes sobre bolsonaristas(foto: Túlio Santos/EM/D. A Press)
Ovos atirados de prédios do bairro de Lourdes sobre bolsonaristas (foto: Túlio Santos/EM/D. A Press)


Os manifestantes gritavam "fora Kalil" e "Kalil comunista" no local. Alguns cânticos e gritos de guerra do movimento pró-Bolsonaro foram: "Eu sou Bolsonaro com muito orgulho, com muito amor" e "a nossa bandeira jamais será vermelha".

Kalil foi atacado por ser crítico frequente de Bolsonaro e ser favorával ao isolamento. Em Belo Horizonte, o prefeito determinou, em decretos, o fechamento do comércio não essencial e o uso obrigatório de máscaras. Por outro lado, o presidente da República é crítico ferrenho da quarentena e defende a reabertura dos estabelecimentos de modo a reaquecer a economia.

Os manifestantes pediram o fim do chamado isolamento social horizontal e a retomada das atividades comerciais, o que ainda não tem data para acontecer. "Deixa BH trabalhar", dizia um cartaz.



Durante a manifestação, os apoiadores de Bolsonaro dirigiram palavras de baixo calão a Alexandre Kalil, ao Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal (STF) e ao ex-ministro da Justiça e de Segurança Pública, Sergio Moro.



A imprensa também foi hostilizada na concentração do movimento, no Bairro Gutierrez, Região Oeste de Belo Horizonte. O ato também pedia a intervenção militar no governo.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade