Publicidade

Estado de Minas CRISE

Moro rebate Bolsonaro: 'Valeixo estava cansado de ser assediado para ser substituído'

Ex-ministro do governo utilizou rede social para contestar afirmações feitas pelo presidente em pronunciamento nesta sexta-feira


postado em 24/04/2020 19:06 / atualizado em 24/04/2020 22:10

(foto: Carolina Antunes/Presidência da República)
(foto: Carolina Antunes/Presidência da República)
O ex-ministro de Justiça e Segurança Pública Sergio Moro utilizou seu Twitter para negar as afirmações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), na tarde desta sexta-feira (24). Na ocasião, Bolsonaro disse que havia avisado a Moro que iria exonerar o agora ex-diretor da Polícia Federal Maurício Valeixo. No entanto, isso foi negado pelo ex-chefe da pasta de Justiça e Segurança Pública.

Bolsonaro afirmou que nessa quinta esteve reunido com Sergio Moro e que havia informado sobre a exoneração de Maurício Valeixo, que seria publicada no Diário Oficial da União nesta sexta, uma vez que o então diretor estaria ‘cansado’. Moro, no entanto, negou ter recebido qualquer pedido de demissão por Valeixo.

“Ontem, não houve qualquer pedido de demissão, nem o decreto de exoneração passou por mim ou me foi informado”, afirmou Moro.

O ex-ministro confirmou o ‘cansaço’ de Valeixo, dizendo que o ex-diretor da PF estava sendo assediado por Bolsonaro desde agosto do ano passado para ser substituído. Na época, Bolsonaro já dizia que a direção da corporação era subordinada a ele.

"De fato, o diretor da PF Maurício Valeixo estava cansado de ser assediado desde agosto do ano passado pelo presidente para ser substituído", escreveu o ex-ministro.
 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade