Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Osmar Terra nega ter sido chamado para a Saúde após possível demissão de Mandetta

O ex-ministro da Cidadania Osmar Terra saiu do Palácio do Planalto, no início da tarde, depois de almoçar com o presidente Jair Bolsonaro e também participar de uma reunião sobre a hidroxicloroquina


postado em 06/04/2020 16:59 / atualizado em 06/04/2020 17:19

(foto: WILSON DIAS/AGÊNCIA BRASIL.)
(foto: WILSON DIAS/AGÊNCIA BRASIL.)
O ex-ministro da Cidadania Osmar Terra saiu do Palácio do Planalto, no início da tarde, depois de almoçar com o presidente Jair Bolsonaro e também participar de uma reunião sobre a hidroxicloroquina. Do encontro, participou também a oncologista Nise Yamagushi, defensora do uso precoce do medicamento em pacientes com Covid-19.

O uso da cloroquina é um tema que divide opiniões e em que a posição de Yamagushi e Osmar Terra são alinhadas àquela do presidente da República. “Bolsonaro tem ouvido todos, inclusive quem defende que seja usado em pacientes menos graves. Tem ouvido médicos e especialistas a respeito. No meio dessa epidemia, não dá para espera ficar grave para usar”, disse Terra. “Os militares tomam cloroquina quando vão para a Amazônia. Por que um paciente de COVID-19 não pode tomar?”, indagou.

Troca na Saúde está decidida

Terra nega que tenha sido convidado para assumir o cargo de ministro da Saúde. Porém, na prática, o deputado do MDB é quem está em contato direto com o presidente da República, e não o ministro Luiz Henrique Mandetta.

Bolsonaro já decidiu pela troca de comando na Saúde. Falta definir a data, apenas. O próprio Mandetta, numa reunião, já admitiu não saber até quanto permanecerá ministro. 

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade