Publicidade

Estado de Minas

Servidores de MG cobram 13º em nova manifestação na Cidade Administrativa

Sindicatos representantes dos funcionários convocaram o protesto a partir das 14horas desta quarta-feira


postado em 18/12/2019 04:00 / atualizado em 18/12/2019 08:18

 (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
A decisão do governo de Minas de garantir o pagamento do 13º salário apenas para servidores da segurança pública gerou insatisfação nas outras categorias. Sindicatos da educação, saúde, das secretarias e órgãos administrativos do estado convocaram manifestação para hoje, às 14h, na Cidade Administrativa, para pressionar o governador Romeu Zema a definir uma data para o pagamento do benefício natalino a todo o funcionalismo mineiro.

“Nos sentimos traídos. A promessa era de que a antecipação do nióbio garantiria o pagamento de todas as categorias, sem distinção. Então, o governo diz que, mesmo sem o recurso, já tem como pagar para os servidores da segurança. Queremos isonomia de tratamento. Os servidores de segurança merecem muito receber. Assim como os da área da saúde, que têm responsabilidade social de cuidar da vida do cidadão e está há 10 anos sem reajuste”, afirmou Renato Barros, diretor do Sindsaúde.

Nesta semana, o secretário de Governo, Bilac Pinto (DEM), anunciou que os servidores da segurança pública vão receber a primeira parcela do 13º salário no próximo sábado (21), independentemente de o governo realizar a operação de crédito do nióbio na Bolsa de Valores de São Paulo.

A coordenadora-geral do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sindute-MG), Denise Romano, ressaltou que os servidores da educação negociam com o governo o pagamento do 13º desde agosto e que o recurso que o estado deixou de investir na educação ao longo do ano seria o suficiente para quitar quatro folhas de pagamento dos servidores da área.“Vivemos uma situação constrangedora no estado. Com uma diferenciação sobre a importância das categorias do funcionalismo”, afirma Denise. Ontem, representantes dos professores foram à Assembleia cobrar dos parlamentares uma atuação contra a decisão do governo de priorizar os servidores da segurança pública. 

O Sindpúblicos-MG, que representa funcionários do setor administrativos do estado, também convocou manifestação para hoje e espera um posicionamento do governo sobre quando o benefício será pago para as outras categorias. “Em virtude das informações de que apenas as forças de segurança pública receberão a primeira parcela do 13º, independentemente da realização do leilão de nióbio, fica comprovado o descaso do governo com as demais secretarias do Poder Executivo”, disse em nota Geraldo Henrique, diretor do sindicato.

O governo de Minas informou ontem que o pagamento do restante dos servidores dependerá do sucesso da operação de antecipação dos créditos do nióbio. A definição de uma data para o leilão depende da Bolsa de São Paulo.
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade