Publicidade

Estado de Minas

EUA não vão mais construir consulado em Belo Horizonte

Estabelecimento aguardado por viajantes, com intuito de evitar idas a outras capitais para obter visto, não sairá do papel, pelo menos por enquanto


postado em 22/08/2019 20:55 / atualizado em 23/08/2019 11:52

Prédio localizado próximo à Avenida Raja Gabáglia, na Região Centro-Sul de BH, abrigaria consulado dos EUA na cidade(foto: Reprodução/Google Street View)
Prédio localizado próximo à Avenida Raja Gabáglia, na Região Centro-Sul de BH, abrigaria consulado dos EUA na cidade (foto: Reprodução/Google Street View)

 

O Departamento de Estado dos Estados Unidos desistiu de construir, pelo menos num futuro próximo, um consulado em Belo Horizonte. A estrutura era aguardada pelos mineiros para evitar escalas em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife ou Brasília para obter visto para o país norte-americano.


Segundo os Estados Unidos, foi feita uma “análise da demanda de vistos e da capacidade dos serviços consulares já oferecidos em todo o Brasil” para tomar a decisão.


O consulado seria instalado no Edifício Panorama, situado na Rua Wilson Rocha Lima, 80, Bairro Santa Lúcia, Região Centro-Sul da capital. Em 2014, a então embaixadora dos EUA no Brasil, Liliana Ayalde, assinou o contrato de locação do prédio.


A previsão era de que o consulado fosse inaugurado dois anos depois, em 2016. Contudo, o prédio instalado em localização privilegiada, ao lado da Avenida Raja Gabáglia, nunca recebeu os serviços.


A medida não altera outros serviços já realizados na capital mineira, como renovação de visto e coleta de dados biométricos, que podem ser feitos no Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto (CASV), no Bairro Santa Efigênia, Região Leste da capital.


Além disso, o Escritório da Embaixada dos EUA em Belo Horizonte continuará promovendo intercâmbios educacionais, culturais e profissionais, bem como o comércio entre os Estados Unidos e Minas Gerais.


Enquanto Minas Gerais continua em segundo plano, os Estados Unidos vão investir, segundo o departamento, mais de US$ 1,2 bilhão (R$ 4,8 milhões na cotação atual) nos próximos anos para construir um novo complexo na embaixada em Brasília e novas instalações nos consulados gerais no Rio de Janeiro e em Recife.


No entanto, segundo a cônsul dos EUA em Belo Horizonte, Rita Rico, as parcerias voltadas à promoção do voluntariado serão expandidas na capital mineira. O mesmo vale para ações de empreendedorismo e aspectos da cultura americana.


Publicidade