Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

PF deflagra 2ª fase da 'E o Vento Levou', que mira em desvios na Cemig

De acordo com a PF, provas produzidas até o momento apontam para pessoas e empresas de Minas Gerais e da Bahia


postado em 25/07/2019 07:52 / atualizado em 25/07/2019 08:49

Sede da Cemig no bairro Santo Agostinho, em Belo Horizonte(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press - 21/08/2017)
Sede da Cemig no bairro Santo Agostinho, em Belo Horizonte (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press - 21/08/2017)

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira (25), a segunda fase Operação E o Vento Levou para investigar o destino final de dinheiro desviado da empresa Cemig Geração e Transmissão. De acordo com a PF, provas produzidas até o momento apontam para pessoas e empresas de Minas Gerais e da Bahia.

Agentes cumprem sete mandados de busca e apreensão nos endereços das pessoas e empresas envolvidas com os fatos investigados, nas cidades de Nova Lima, em Minas, São Bernardo do Campo (SP), Salvador, Lauro de Freitas e Milagres,  essas três últimas na Bahia. As ordens foram expedidas pela 2ª Vara Criminal da Justiça Federal de São Paulo.

A primeira fase da operação focou no desvio de dinheiro da empresa Cemig Geração e Transmissão por meio do aporte de R$ 850 milhões de reais na empresa Renova Energia SA com posterior repasse de parte deste recurso por meio do superfaturamento de um contrato com a empresa Casa dos Ventos e escoamento dos valores através de sua transferência a várias empresas. Em seguida, o dinheiro foi convertido em espécie e distribuído a diversas pessoas.

Aos investigados poderão ser imputados, na medida de suas participação nos fatos, os crimes de Associação Criminosa, Peculato, Lavagem de Dinheiro, e Falsidade Ideológica cujas penas, somadas, poderão resultar em 9 a 38 anos de prisão.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade