Publicidade

Estado de Minas

Bolsonaro volta a atacar manifestações e diz que protestos foram convocados por 'espertalhões'

Presidente fez seu pronunciamento ao vivo de Dallas, nos EUA, onde recebeu mais cedo uma homenagem concedida pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos


postado em 16/05/2019 19:57 / atualizado em 16/05/2019 20:09

 

(foto: Marcos Correa/PR)
(foto: Marcos Correa/PR)

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou a criticar, na noite desta quinta-feira, durante pronunciamento que faz em seu perfil nas redes sociais, as manifestações contra os cortes na educação, anunciados pelo Ministério da Educação (MEC). De acordo com ele, os atos que reuniram milhares de pessoas, especialmente estudantes, foram conduzidos não com motivos educacionais, mas políticos.

“A manifestação não foi pela educação, foi uma manifestação convocada por espertalhões do PT, PSOL, PCdoB, sindicatos. Eles usaram da boa-fé de alunos para um ato Lula livre”, afirmou, em Dallas, no Texas(EUA).

Esta é a terceira crítica pública que Bolsonaro faz as manifestações. Ontem ele já havia dito que as pessoas que estavam nas ruas pedindo a manutenção de todos os recursos para as universidades eram “idiotas úteis” e “massa de manobra”.

Hoje mais cedo, durante cerimônia em que foi homenageado com o título de “Personalidade do Ano” concedido pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, ele seguiu na mesma linha e afirmou que universidades eram locais infiltrados por integrantes da esquerda, assim como a imprensa no Brasil.


O Presidente estava acompanhado do almirante Bento Costa Lima, ministro de Minas e Energia e do presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães.


Jair Bolsonaro ainda comentou sobre a visita aos Estados Unidos e comentou, rapidamente, sobre o cancelamento da cerimônia em que ele seria homenageado, após críticas públicas feitas pelo prefeito de Nova York, Bill de Blasio. “Ele disse que sou racista, homofóbico, fascita. É pra dar risada, né?”, ironizou.

Condenação de Zé Dirceu

Durante o pronunciamento que faz às quintas-feiras, o presidente ironizou o ex-ministro do governo Lula, José Dirceu, que teve um revés em sua tentativa de recorrer de uma das condenações. “Parabéns ao Zé Dirceu que vai curtir umas férias na cadeia”.


Hoje, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região rejeitou o derradeiro recurso do petista, no âmbito de processo em que foi sentenciado a 8 anos e 10 meses de prisão, e determinou "a imediata expedição de ofício ao MM. Juiz Federal para que inicie a execução provisória da pena". Com a decisão, o petista pode voltar à cadeia da Lava-Jato.

 

Sérgio Moro no STF 

 


Outro ponto abordado por ele durante a conversa que durou cerca de 30 minutos, foi a indicação do ministro da Justiça, Sérgio Moro, para uma vaga no Supremo Tribunal de Justiça (STF). Segundo ele, até o momento em que assumiu a Presidência não teve conversa com o ex-juiz. Apenas um encontro rápido teria ocorrido. Na época, a repercussão foi de que o então responsável pelos julgamentos da Lava-Jato, em Curitiba, havia ignorado ele.

“Só vim conversar com Sérgio Moro depois de eleito. Ele abriu mão de mais de 20 anos de magistratura. Ela podia dar palestras, se aposentar. Mas ele abriu mão”, disse, afirmando que este é mais um motivo de orgulho por tê-lo em seu governo.

CNH e caminhoneiros

 


Durante a live, Bolsonaro, ainda voltou a ressaltar que espera “acabar com a indústria das multas” e que apresentará proposta para aumentar o prazo de validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de cinco para 10 anos e também a quantidade de pontos para que a habilitação seja cassada. Neste caso, passando dos atuais 20 pontos para 40 pontos.


Por fim, o ministro de Minas e Energia afirmou que ate o próximo mês, será implantado um cartão para caminhoneiros. A ferramenta permitirá que o combustível seja adquirido antes, com uma espécie de recarga, e durante trinta dias os motoristas de caminhões e carretas tenham a garantia do preço do combustível do momento que o crédito foi adquirido.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade