Publicidade

Estado de Minas

Guedes promete plano de ajuda para estados do Nordeste

Programa dará mais crédito para pagamento de funcionários e fornecedores. Governadores de oposição consideraram um avanço


postado em 10/05/2019 06:00 / atualizado em 10/05/2019 07:47

Paulo Guedes falou aos governadores sobre o envio de um plano de recuperação financeira(foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agencia Brasil )
Paulo Guedes falou aos governadores sobre o envio de um plano de recuperação financeira (foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agencia Brasil )

Brasília – O ministro da Economia, Paulo Guedes, prometeu ontem aos governadores do Nordeste que apresentará o chamado plano Mansueto ao Congresso na próxima semana. A informação foi dada pelo governador de Alagoas, Renan Filho.

O programa permitirá aos estados ter mais crédito para pagar funcionários e fornecedores, entre outras despesas. O governo, no entanto, espera uma contrapartida dos entes federados com medidas de ajustes fiscais que possam reequilibrar as contas.

Os governadores do Ceará, Camilo Santana; de Pernambuco, Paulo Câmara; de Alagoas, Renan Filho; de Sergipe, Belivaldo Chagas; do Piauí, Wellington Dias; do Maranhão, Flávio Dino; da Paraíba, João Azevedo; do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, e o vice-governador da Bahia, João Leão, participaram de uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro, e os ministros da Economia, Paulo Guedes, da Secretaria de Governo, Carlos Alberto Santos Cruz, de Minas e Energia, Bento Albuquerque e o Advogado-Geral da União, Luiz de Almeida ontem.

De acordo com os governadores, Guedes apresentará o texto do plano de recuperação dos estados aos secretários estaduais de Fazenda primeiro e depois encaminhará a proposta ao Congresso.

Guedes contou a eles ainda que estava pronto para apresentar a proposta na quarta-feira, quando 25 governadores e vice-governadores se reuniram com Bolsonaro, mas o ministro disse que não pode estar presente ao encontro. A ausência do texto frustrou os chefes dos executivos locais.

“Foi um avanço que obtivemos hoje (ontem) porque ontem (quarta) não tínhamos resposta e hoje (ontem) saímos daqui com a promessa de que ele vai ser apresentado na semana que vem”, afirmou Flávio Dino. De acordo com Renan Filho, o governo quer como contrapartida que os estados promovam um ajuste fiscal que possibilite que a antecipação de recursos garanta posteriormente o equilíbrio das contas dos estados.

 


Publicidade