Publicidade

Estado de Minas

Museu de Nova York anuncia que não vai receber evento em homenagem a Bolsonaro

A cerimônia está marcada para dia 14 de maio e premiará Bolsonaro pelo sua intenção de estreitar os laços entre os dois países.


postado em 15/04/2019 18:25 / atualizado em 15/04/2019 19:00

(foto: Presidência da República )
(foto: Presidência da República )

O Museu Americano de História Natural, em Nova York, nos Estados Unidos, anunciou nesta segunda-feira (15) por meio de redes sociais que não sediará evento organizado pela Câmara de Comércio Brasil-EUA para homenagear o presidente Jair Bolsonaro (PSL).

A cerimônia que vai premiar Bolsonaro como “Pessoa do Ano” estava marcada para o dia 14 de maio em um dos salões do museu, mas o local será alterado pelos organizadores.

O presidente foi escolhido em fevereiro pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, que citou o reconhecimento à sua intenção de estreitar ao laços entre os dois países. Na semana passada, o museu divulgou estar com receio de receber o evento em homenagem a Bolsonaro e que avaliaria “opções possíveis”.

Na tarde desta segunda-feira, por meio do Twitter, o Museu anunciou que decidiu desmarcar o evento. “Com respeito mutuo pelo trabalho e objetivos das nossas organizações, nós concordamos que o Museu não é o local ideal para o jantar de gala da Câmara de Comércio Brasil-EUA. Esse tradicional evento vai acontecer em outro local na mesma data e horário”, diz o comunicado na tarde desta segunda-feira.

No final de semana, o museu divulgou mensagens dizendo que viam com preocupação receber um evento de Bolsonaro após receber críticas sobre posicionamentos políticos e ideológicos do presidente do Brasil.

“O Museu quer agradecer as pessoas que expressaram sua opinião sobre o evento da Câmara de Comércio Brasil-EUA. Entendemos e compartilhamos sua preocupação. Também queremos deixar claro que o Museu não convidou o presidente Bolsonaro; ele foi convidado como parte de um evento. No entanto, estamos profundamente preocupados com os objetivos declarados da atual administração brasileira”, diz o anuncio postado no final de semana.

 

Procurada pela reportagem, a Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos não se posicionou sobre a decisão do Museu Americano. 

 

Em 2018, o então juiz Sérgio Moro foi escolhido "Pessoa do Ano" pela Câmara de Comércio. Em 2017 o escolhido foi o então prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB).  Também já receberam a premiação o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), e o ex-ministro Henrique Meirelles (MDB). 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade