Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Toffoli abre inquérito para investigar 'notícias falsas' contra o STF

O relator do inquérito criminal, que tramitará em sigilo, será o ministro Alexandre de Moraes


postado em 14/03/2019 15:46 / atualizado em 14/03/2019 16:50

'Não existe estado democrático de Direito sem Judiciário independente e imprensa livre', afirmou Dias Toffoli(foto: Nelson Jr./SCO/STF)
'Não existe estado democrático de Direito sem Judiciário independente e imprensa livre', afirmou Dias Toffoli (foto: Nelson Jr./SCO/STF)

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, anunciou nesta quinta-feira, 14, abertura de inquérito criminal para apurar fatos relacionados a notícias "falsas, caluniosas, difamantes e injuriantes" que atinjam a honorabilidade dos membros do STF e seus familiares. O procedimento tramitará sob sigilo, e Toffoli não especificou que fatos específicos serão investigados.

Segundo o presidente da Corte, o ministro Alexandre de Moraes será o relator do inquérito criminal. No início do pronunciamento, Toffoli afirmou que "não existe estado democrático de Direito sem Judiciário independente e imprensa livre".

O comunicado foi feito no início da sessão desta quinta-feira, antes da Corte retomar julgamento sobre a competência da Justiça Eleitoral processar crimes como corrupção quando há conexão com caixa dois.

Leia a íntegra da portaria de inquérito:

"O Presidente do Supremo Tribunal Federal, no uso de suas atribuições que lhe confere o regimento interno, considerando que velar pela intangibilidade das prerrogativas do Supremo Tribunal Federal e dos seus membros é atribuição regimental do presidente da Corte; considerando a existência de notícias fraudulentas (fake news), denunciações caluniosas, ameaças e infrações revestidas de animus calumniandi, diffamandi e injuriandi, que atingem a honorabilidade e a segurança do Supremo Tribunal Federal, de seus membros e familiares,

Resolve, nos termos do art 43 e seguintes do Regimento Interno, instaurar inquérito para apuração dos fatos e infrações correspondentes, em toda a sua dimensão.

Designo para a condução do feito o eminente ministro Alexandre de Moraes, que poderá requerer à Presidência a estrutura material e de pessoal necessária para a respectiva condução".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade