Publicidade

Estado de Minas ATÉ R$ 19 MIL

Governo Zema abre inscrição para cargos na administração em MG; confira

As primeiras vagas disponíveis estão no site Transforma Minas. A previsão é que até 500 postos de trabalho sejam ofertados


postado em 11/03/2019 11:55 / atualizado em 11/03/2019 14:32

(foto: Juarez Rodrigues / EM / D.A.Press )
(foto: Juarez Rodrigues / EM / D.A.Press )

Com atraso de algumas horas, o governo de Minas disponibilizou nesta segunda-feira (11) as quatro primeiras vagas para o estado, que incluem uma de subsecretário da Receita Estadual, com salário de R$ 19 mil. Segundo a Secretaria de Planejamento e Gestão, novos postos serão divulgados diariamente.

Além do número dois da Receita,  o governador Romeu Zema (NOVO) pretende contratar, pelo processo seletivo na internet, o corregedor-geral do estado, um subcontrolador e um superintendente.

Para o cargo de subsecretário, que será subordinado à Secretaria da Fazenda, é preciso ser auditor fiscal da receita em exercício e não passar para a inatividade até 2022. O contratado fará a gestão de quatro superintendências com aproximadamente 250 pessoas no total, e das superintendências regionais.

Com salário de R$ 9 mil, o cargo de corregedor-geral do estado também está disponível somente a servidores de carreira. O contratado terá a função de coordenar equipes que analisam denúncias e representações no âmbito do estado. O orçamento da área é de R$ 100 mil por ano.

Outra oferta é para o cargo de superintendente de Proteção Social Básica e Gestão do SUAS, que tem um orçamento de R$ 28.486.695,00. O salário é de R$ 7,6 mil e dá ainda um vale-refeição de R$ 47 por dia útil. O governo pede experiência em liderança de equipes e políticas públicas de assistência social.

Fecha a lista de cargos disponíveis o de subcontrolador de governo, cujo salário é de R$ 9 mil. O governo exige do participante mais de 18 anos, curso superior e conhecimento comprovado em transparência e integridade.

As vagas entraram no ar no início da tarde. Segundo a Seplag, houve um pequeno atraso por causa de questões técnicas.

Segundo o governo, ao logo de um ano serão oferecidos 300 postos de trabalho para funções de chefia que vão de subsecretário de estado a chefia de superintendências e a diretor de órgãos públicos. Os salários vão de R$ 7 mil a R$ 20 mil e, como vem sendo o procedimento no estado, serão parcelados em duas vezes até segunda ordem, como ocorre com todo o funcionalismo.

O interessado terá de responder a um teste de “aderência”. Segundo o estado, a etapa não é obrigatória e consiste em preencher um formulário online que será usado “para conhecer melhor seus (do candidato) valores e aderência aos objetivos do Governo de Minas Gerais”.

De acordo com a Seplag, as candidaturas para as vagas serão via site www.transformaminas.mg.gov.br. Nele, o usuário encontra informações sobre as etapas de seleção, que terão teste de perfil e três entrevistas: por competências, com especialistas e final, além da análise curricular. O site informa que os candidatos poderão se inscrever para mais de uma vaga.

A seleção é nacional, portanto, as vagas estão disponíveis para pessoas de outros estados que queiram um emprego em Minas. “Nas etapas do processo há entrevistas que preveem questionamentos sobre a estrutura das secretarias estaduais envolvidas, seus objetivos e programas vigentes. Quem está mais próximo ou atento à realidade do Estado tende a se sentir mais confortável nesta fase, mas candidatos de outras regiões podem pesquisar e, da mesma forma, estarão aptos a responder às perguntas”, diz o informativo.


Publicidade