Publicidade

Estado de Minas

Secretário de Kalil cobra repasses de Zema à PBH que estão em atraso

Capital tem cerca de R$ 100 milhões a receber da atual gestão e espera que o montante seja disponibilizado ainda em fevereiro


postado em 21/02/2019 19:08 / atualizado em 21/02/2019 23:42

(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)

O secretário municipal de Fazenda de Belo Horizonte, Fuad Noman, afirmou nesta quinta-feira que espera que o governador Romeu Zema (Novo) quite a dívida de R$ 100 milhões com a PBH ainda este mês.

Segundo ele, a promessa foi feita pelo próprio Zema em conversa com prefeitos. “Existe uma associação dos prefeitos que está cuidando (de cobrar os repasses), o prefeito (Alexandre Kalil) já esteve com o governador. Agora, a gente não tem muita ação para fazer, mas estamos cobrando, espero que ele pague”, afirmou, ao participar de reunião com a mesa diretora da Câmara de BH que devolveu R$ 33.569.351,45 aos cofres do município.

 Ainda de acordo com Noman, da gestão passada do ex-governador Fernando Pimentel (PT) ficaram R$ 429 milhões de débito do governo do estado com a prefeitura. O valor continuou subindo na atual gestão. “Os R$ 100 milhões que ainda não vieram, espero que venham, porque é constitucional”, afirmou.

A PBH, segundo o secretário de Fazenda, não está com débitos ou em déficit porque desde o ano passado, quando os atrasos começaram a se tornar frequentes, adotou medidas para reduzir os gastos e passou a não contar com eles no momento de assumir compromissos de novas obras, por exemplo. A situação, contudo, tem impactado na possibilidade de realização de obras.

“Quem sabe se o governador pagar a gente possa antecipar isso e fazer mais coisa”, disse, ao ser perguntado sobre o cronograma de obras que estão em atraso, apesar de já aprovadas no Orçamento Participativo. Cerca de 450 foram herdadas da gestão do ex-prefeito Marcio Lacerda por Kalil, segundo a PBH.

“São recursos constitucionais, então não é querer ou não liberar, eles têm que ser liberados para a prefeitura. “Ele (Zema) disse que ia regularizar em fevereiro, tomara que regularize”, espera.

No final de janeiro, o governador Romeu Zema afirmou que a expectativa do estado era regularizar os repasses em fevereiro. “Antes de mais nada quero estar passando para vocês que, no mais tardar em 10 dias, os repasses para os municípios passarão a ser feitos pontualmente”, disse no final de janeiro para público formado por prefeitos, vice-prefeitos e secretários municipais da região Sul de Minas.

Hoje, em visita a Bonito de Minas, no Norte do estado, o governador afirmou a prefeitos a região, de acordo com lideranças locais presentes ao encontro, que “já começou a normalizar a situação” dos repasses neste mês

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade