Publicidade

Estado de Minas

Cobrança de Bolsonaro repercute mal entre policiais federais

A informação é Blog CB. Poder, o jornal Correio Braziliense, sobre o pedido de Bolsonaro para que a investigação sobre a facada que sofreu em setembro passado seja esclarecida


postado em 11/02/2019 08:00

Presidente Jair Bolsonaro fez a cobrança em vídeo feito da cama do Hospital Alberto Einstein, onde se recupera de uma cirurgia para refazer seu trânsito intestinal(foto: Reprodção/Twitter)
Presidente Jair Bolsonaro fez a cobrança em vídeo feito da cama do Hospital Alberto Einstein, onde se recupera de uma cirurgia para refazer seu trânsito intestinal (foto: Reprodção/Twitter)

A cobrança do presidente Jair Bolsonaro (PSL), em vídeo postado nas redes sociais nesse domingo (10), para que a Polícia Federal acelere a investigação sobre  o "ato terrorista" sofrido por ele em setembro passado repercutiu mal entre membros da corporação.



De acordo com a coluna  CB.Poder, do jornal Correio Braziliense, em mensagens no Whatsapp, alguns policiais chegaram a dizer que o presidente  "perdeu a chance de ficar calado" tendo em vista  que  "a reclamação era indevida, dada a competência dos responsáveis pelas investigações."

A coluna lembrou que  um primeiro inquérito já foi encerrado e não se chegou a provas concretas de ligações partidárias ou participação de outras pessoas além de Adélio Bispo.  Além disso, uma segunda investigação ainda está em curso.

A cobrança


O presidente Jair Bolsonaro pediu,  nesse domingo (10),  que a Polícia Federal acelere as investigações sobre a facada de que foi vítima ainda durante a campanha. Ele classificou o ocorrido como "ato terrorista" e pediu à polícia que "tenha uma solução para o caso nas próximas semanas", de forma a indicar quem foram os "responsáveis por determinar" que Adélio Bispo, autor da facada, cometesse o ato.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade