Publicidade

Estado de Minas

Zema já articula parceria para decidir futuro do Palácio das Mangabeiras

O governador não informou quanto está pagando de aluguel para morar em Belo Horizonte


postado em 24/01/2019 13:37 / atualizado em 24/01/2019 18:54

Na campanha, Zema disse que o Palácio das Mangabeiras viraria um museu 'dos privilégios' (foto: Maria Tereza Correia / EM / D.A. Press)
Na campanha, Zema disse que o Palácio das Mangabeiras viraria um museu 'dos privilégios' (foto: Maria Tereza Correia / EM / D.A. Press)

O governo de Minas iniciou conversas com a Casa Fiat de Cultura para definir um projeto de parceria com o estado para o uso do Palácio das Mangabeiras. A residência oficial do governador de Minas não está sendo usada pelo novo titular do cargo Romeu Zema (Novo) desde o início de janeiro, já que ele optou por alugar um imóvel na Pampulha.

As conversas com a Casa Fiat foram confirmadas ao Estado de Minas pela assessoria de Zema, que por enquanto não antecipa quais seriam as opções de empreendimento. “A equipe do Governo de Minas Gerais está fazendo análises juntamente com a Casa Fiat de Cultura para estudar a possibilidade de realização de um projeto em parceria para uso do Palácio das Mangabeiras”, informou em nota.

Durante a campanha, Romeu Zema afirmou por diversas vezes que transformaria o Palácio das Mangabeiras em um “museu dos privilégios”, indicando que o espaço que abrigou os antigos governadores do estado pode ser aberto a visitação. O governador também tem citado o Palácio como exemplo de economia, já que, segundo Zema, só nele seriam 27 funcionários a menos para trabalhar.

Questionado sobre a manutenção do espaço, o governo de Minas informou que “atualmente, não existem mais funcionários dedicados exclusivamente à manutenção e conservação do Palácio das Mangabeiras”, mas garantiu que os cuidados estão sendo feitos. Segundo o estado, ainda não foi possível mensurar os custos de tal manutenção. “Os serviços são realizados, de forma intercalada e reduzida, por funcionários que também atendem o Palácio da Liberdade”, informa. O governo não soube dizer qual o valor da economia com o uso do espaço.

Aluguel de casa


A assessoria de Zema também não informou ao Estado de Minas quanto o governador Romeu Zema está gastando com o aluguel da casa que escolheu para morar, mas garantiu que ele está tirando o valor do próprio bolso. “Isso é um assunto pessoal do governador”, justificou. Por motivo de segurança, o governo não informou a localização do imóvel.

“Foram tomadas todas as providências de segurança de praxe. Não há gasto adicional com isto. No Palácio das Mangabeiras, o governador anterior mantinha uma equipe de cerca de 30 funcionários custeados pelo Estado. O governador Romeu Zema contará com apenas uma funcionária, para cuidar da manutenção e limpeza de sua moradia, custeada por ele”, informou o governo.

A Casa Fiat de Cultura confirmou ter sido procurada pelo governo para uma parceria visando ações culturais e disse que a proposta está sendo analisada internamente.


Publicidade