Publicidade

Estado de Minas

Kalil diz que não tem intenção de pressionar Zema 'de forma indevida' sobre dívidas

Prefeito de Belo Horizonte disse ontem que estava esperando posição do governador eleito sobre o pagamento dos repasses em atraso


postado em 13/11/2018 14:55 / atualizado em 13/11/2018 18:45

(foto: Beto Novaes/EM/D.A Press)
(foto: Beto Novaes/EM/D.A Press)

O prefeito Alexandre Kalil (PHS) afirmou na tarde desta terça-feira que “não tem intenção” de pressionar o governador eleito Romeu Zema (Novo) “de forma indevida”. A fala de Kalil, que se pronunciou por nota, ocorreu após ele ter dito ontem que esperava uma posicão de Zema sobre a dívida do governo do estado com a capital.


“Esclarecemos que a Prefeitura de Belo Horizonte não tem a intenção de pressionar de forma indevida o governador eleito com relação aos repasses em atraso ao Município”, afirmou.


Ainda de acordo com Kalil, a intenção é manter com a nova administração estadual a mesma relação de diálogo aplicada atualmente com Fernando Pimentel (PT). “Como fizemos com o governo atual, queremos o diálogo franco e aberto para que a situação dramática em que todos se encontram possa ser resolvida da melhor forma, de modo que todos nós colaboremos para a governabilidade das esferas tanto estadual quanto municipal”.


Nessa segunda-feira, ao participar de evento no restaurante popular, o prefeito de Belo Horizonte comentou sobre a dívida. “Estou esperando uma posição dele a respeito de pagar o que deve à PBH”. Os recursos referem-se ao repasse de verbas de ICMS, IPVA e Fundeb. A Associação Mineira de Municípios (AMM) contabiliza que o governo deve às prefeituras cerca de R$ 9 bilhões


De acordo com Kalil, ele também vai “urgente” até o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) buscar dinheiro para Belo Horizonte.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade