Publicidade

Estado de Minas

Filho de Bolsonaro defende mudanças no Enem porque 'continua petista'

O vereador Carlos Bolsonaro (PSL/RJ) usou o Twitter para endossar críticas do historiador e apresentador Marco Antônio Villas às questões das provas do Enem, realizada nesse domingo (4)


postado em 05/11/2018 12:04 / atualizado em 05/11/2018 13:21

O vereador Carlos Bolsonaro  (PSL/RJ), filho do presidente eleito Jair Bolsonaro,  usou o Twitter  nesta segunda-feira para defender a mudança do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). " Isso tem que mudar, para o bem do Brasil! O Enem continua petista",  escreveu o parlamentar, endossando críticas do historiador e apresentador Marco Antônio Villa, durante programa, na manhã de hoje, na Rádio Jovem Pan.

Durante quase sete minutos,  Villa  fez uma série de críticas às questões formuladas na primeira etapa no Enem, nesse domingo (4). "O Enem continua o mesmo. Não chegou a informação que Dilma ( ex-presidente Dilma Rousseff) sofreu impeachment e que o PT saiu do governo", destacou o apresentador.

Para Villa, 'é inacreditável' a prova realizada nesse domingo (4).  " O PT continua dizendo quem pode ou não entrar na universidade, segundo critério político ideológico", opinou . De acordo com ele, o Enem "continua  petista, da primeira  a última questão".

"Vou destacar alguns pontos, são muitos. Têm questões técnicas, da estrutura, da raiz das questões, que estão erradas, respostas no gabarito que são muito questionáveis", avaliou  Villa.

Enem

O Enem foi criado pelo MEC (Ministério da Educação e Cultura) no ano de 1998. O sistema avalia estudantes de escolas públicas e particulares do Ensino Médio. Os dados, além de servirem de base para o desempenho pessoal, também são utilizados pelo governo para definir políticas públicas educacionais. Atualmente, muitas universidades públicas e privadas estão utilizando os resultados do Enem dentro de seus sistemas de seleção.

Vereador Carlos Bolsonaro (PSL/RJ)(foto: Agência Brasil - EBC)
Vereador Carlos Bolsonaro (PSL/RJ) (foto: Agência Brasil - EBC)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade