Publicidade

Estado de Minas

Anastasia mudará estratégia para o 2º turno


postado em 08/10/2018 06:00 / atualizado em 08/10/2018 07:48

(foto: Marcos Vieira/EM/ D. A. Press)
(foto: Marcos Vieira/EM/ D. A. Press)

O PSDB chega ao segundo turno das eleições para o governo de Minas com a tarefa de rever toda a estratégia que havia planejado para a campanha. Com a surpresa de enfrentar o empresário Romeu Zema (Novo) no estado, que não só tomou do governador Fernando Pimentel (PT) a vaga como desbancou o senador Antonio Anastasia (PSDB) da primeira posição, a postura será completamente diferente. A briga agora será para confrontar experiência com a falta dela.


No primeiro turno, a campanha de Anastasia foi focada em mostrar as falhas do atual governo e as dificuldades financeiras do estado, mostrando o tucano como o gestor capaz de solucionar os problemas. Com Zema, o foco será outro. O empresário nunca ocupou cargos públicos, o que será explorado ao máximo pela campanha tucana. “Vamos reforçar que a gravidade da situação do estado exige alguém com experiência em administração, porque se entrar alguém que não tem conhecimento de administração pública, até ele entender a máquina vai demorar pelo menos um ano”, afirmou uma fonte da campanha.


Já no pronunciamento, logo depois da eleição, o senador Antonio Anastasia afirmou que os mineiros terão de comparar as trajetórias e saber o que cada um dos dois candidatos que disputarão o segundo turno fizeram por Minas. O candidato do PSDB não respondeu perguntas e não comentou o fato de ter ficado em segundo lugar, atrás de Zema.


O candidato afirmou que o objetivo de sua participação no primeiro turno da eleição foi alcançado: tirar o PT do governo de Minas e derrotar a ex-presidente Dilma Rousseff nas urnas. Anastasia destacou a ausência de Pimentel no segundo turno. Segundo ele, os mineiros mostraram o repúdio ao PT nas urnas. “O grande objetivo foi alcançado, que foi a retirada do PT do desgoverno do Pimentel de Minas Gerais, bem como a derrota de sua candidata ao Senado”


Segundo Anastasia, o segundo turno será uma outra eleição e os candidatos terão mais tempo na televisão e nos debates para apresentar suas propostas. “Vai ser em um cenário novo, sem o PT, e vamos ter a oportunidade de comparar o perfil de cada candidato, o que cada um já fez pelo estado. Estou totalmente entusiasmado de que no dia 28 venceremos o segundo turno para governar Minas Gerais”, disse.
Um dos coordenadores de campanha de Anastasia, o ex-presidente do PPS Juarez Amorim, afirmou que a subida de Zema foi inesperada para todos e ocorreu nos últimos três dias, por isso não foi captada pelas pesquisas. “Não havia nenhum sinal deste movimento, agora vamos analisar com calma”, disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade