Publicidade

Estado de Minas

"Agora é que o jogo vai começar", diz Marina Silva sobre a campanha eleitoral

Ex-senadora minimiza queda nas pesquisas e diz que Haddad está entre aqueles que "criaram o problema e não resolveram"


postado em 13/09/2018 10:22 / atualizado em 13/09/2018 10:37

(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)

Na segunda-feira, Marina Silva (Rede) estava na Bahia; na terça-feira, no Rio. Ontem, veio a Belo Horizonte, e à noite chegaria a São Paulo. Ela aparenta cansaço, mas diz estar animada com o envolvimento da população em sua campanha. Concedeu entrevista exclusiva ao Estado de Minas na van que a levava ao aeroporto no fim da tarde. Um dia depois das pesquisas que indicam queda de intenções de votos em sua candidatura, a ex-senadora diz que “agora é que o jogo vai começar”.

“Os grandes partidos farão de tudo para que quem defina a eleição sejam as pesquisas. Vou fazer de tudo para que quem defina seja a população”. Depois de agenda sem intervalos, que incluiu de visita ao Mercado Central a sabatina em programa de TV, Marina ficou presa no engarrafamento na Avenida Cristiano Machado, Região Norte da capital. Optou por não ligar a sirene para abrir caminho para a van e acabou perdendo o voo.

QUEDA NAS PESQUISAS


Ainda temos muito chão pela frente, vamos continuar apresentando nossas propostas, andando o Brasil inteiro. Estou fazendo quase um estado por dia. Antes de ontem estava na Bahia, ontem estava no Rio de Janeiro, hoje estou aqui e amanhã estarei em São Paulo. É claro que para quem não tem dinheiro e uma estrutura milionária é mais difícil. É cada vez mais o envolvimento da população que faz a nossa campanha. Quando estava subindo, as pessoas não davam tanta ênfase. Agora tratam isso como um dado de realidade e é apenas um retrato de momento. O segundo lugar em relação ao que estava sem o presidente Lula não está definido. Há um empate e agora é que vai começar o jogo. Os grandes partidos farão de tudo para que quem defina as eleições sejam as pesquisas. Eu vou fazer de tudo pra quem defina seja a população.

VOTO FEMININO


Não gosto dessa história de tratar as mulheres como apenas para angariar voto. Tenho compromisso com a agenda das mulheres. Saúde para as mulheres que funcione. Emprego para que elas trabalhem e cuidem das suas famílias. Creche para poder deixar seus filhos. Créditos para financiar seus projetos, abrir seu negócio. É compromisso, não é estratégia eleitoral. Ainda bem que estou fazendo isso desde o início. É compromisso de vida. Não pode ser tratado apenas para ganhar voto. Se vai dar voto ou não vai é consequência. É injusto mulher ganhar menos quando faz o mesmo trabalho. Não é justo que não tenha creche para deixar seu filho.

"Sou contra o aborto e defendo com clareza isso"



EVANGÉLICOS


Não vejo essa mesma insistência em relação aos candidatos católicos (com temas como aborto). Deve ser pelo fato de ser evangélica e o preconceito contra os evangélicos. Mas, numa democracia, tem que responder aquilo que a sociedade quer saber e sou muito transparente naquilo que defendo. Sou contra o aborto e defendo com clareza isso.Vou trabalhar para que as mulheres não tenham gravidez indesejada. Não tenho a mesma convicção que a maioria dos líderes do PSDB têm em relação à liberação das drogas. E defendo que isso não seja decidido apenas pelo Congresso. Que se for para liberar, que seja por plebiscito. O presidente não chama plebiscito. Se for para ampliar o aborto para além do que já existe, que seja por um plebiscito, e não por 513 deputados e 81 senadores.

"Lula pagou pelos erros que cometeu"



LULA

Houve processo, julgamento em segunda instância e condenação. O presidente Lula está pagando pelos erros que cometeu. É preciso acabar com o foro privilegiado, para que também (Michel) Temer, (Eliseu) Padilha, Moreira Franco, Romero Jucá paguem pelos mesmos erros.

ATAQUES


Desde 2014, decidi que prefiro sofrer a injustiça do que cometer a injustiça. Entrei para essa campanha para oferecer a outra face. Para a face do ódio, para desconstrução, para o desrespeito, ofereço sempre o respeito. Para a face do ódio, ofereço o amor. Minha forma de responder quando sou injustamente atacada, como fui em 2014, é continuar falando a verdade.

HADDAD

Aqueles que criaram o problema não vão resolver o problema. Quem foi que criou essa situação de 13 milhões de desempregados? Não foi o governo Dilma-Temer? A gente vai ter que negar a realidade? Não se pode negar os fatos? Temos 13 milhões de desempregados. Isso começou no governo Dilma-Temer. O aprofundamento da corrupção, foi no governo Dilma-Temer. São os fatos.

BOLSONARO X ESQUERDA


Essa cultura de ódio não leva a lugar nenhum. Quero juntar as pessoas para ser a favor do Brasil. As coisas ruins vamos corrigir. E as que ainda não foram feitas nós vamos começar. É assim que eu me coloco.

PRIMEIRO ATO


Não vou compactuar com o “toma la dá cá” que foi feito nos governos do PSDB e do PT. Meu presidencialismo não vai ser de coalizão, vai ser de proposição. Vamos montar a maioria no Congresso com base no meu programa, negociando e dialogando com a sociedade, com as pessoas de bem dos partidos. Não vou compor o governo na base do “toma lá dá cá”. Do mesmo jeito que acontece com democracias evoluídas. Angela Merkel compôs o seu governo com base no programa. Itamar Franco conseguiu montar o governo com base no programa. Tem que acabar com essa história de que para aprovar depende da compra de votos.

REFORMA TRABALHISTA


Vamos acabar com as injustiças. Uma grávida não pode trabalhar em situação de risco. Tem que ter direito a pelo menos uma hora para se alimentar. Uma pessoa não ter como pagar perícia para fazer denúncia e defender seus direitos. Isso tudo vai ser revisto, na base do diálogo e do convencimento.

EDUCAÇÃO

Temos como prioridade a educação. A educação infantil. Todas as crianças na escola e com acesso à creche. Queremos ampliar em 50% esse serviço para a população como forma de ajudar as mulheres a estudar e a trabalhar. Que nenhuma criança tenha aprendizagem defasada em relação à sua idade série. Que todos cheguem aos 19 anos com diploma do ensino médio. Que as pessoas possam ter escola de tempo integral com contraturno para que possam ter atividade de esporte, artes plásticas, música, ciência.

SAÚDE

Nosso programa para a área de saúde vai atender 500 mil pessoas por região, criando autoridade sanitária nacional que trabalhará de forma tripartite (governo federal, estadual e municipal), otimizando os recursos, combatendo desperdício e corrupção, blindando os serviços de saúde da politicagem, para que as pessoas que ocupam esses cargos tenham capacidade técnica e idoneidade ética. Vamos priorizar os médicos de família e os postos funcionando.

TETO DE GASTOS


Não é preciso congelar por 20 anos essa saúde que não funciona, essa segurança, essa infraestrutura que não funciona. Vamos controlar gasto público na lei orçamentária. Quando tiver superávit primário, vamos ter aumento do gasto público apenas até a metade do crescimento do PIB. O próprio Tribunal de Contas está falando que vai colapsar se continuar congelando a saúde, a educação, a segurança pública e a infraestrutura.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade