Publicidade

Estado de Minas

TRE absolve Pimentel em ação de abuso de poder econômico nas eleições de 2014

Por 4 votos a 3, magistrados não acataram acusação de que o governador teria extrapolado em mais de R$ 10 milhões os gastos com a campanha eleitoral


postado em 06/09/2018 15:46 / atualizado em 06/09/2018 15:57

Ação pedia a cassação da chapa Fernando Pimentel e Antonio Andrade e a inelegibilidade do petista(foto: Alexandre Guzanche/EM/D.A Press)
Ação pedia a cassação da chapa Fernando Pimentel e Antonio Andrade e a inelegibilidade do petista (foto: Alexandre Guzanche/EM/D.A Press)

Por quatro votos a três, os magistrados do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais julgaram improcedente ação em que o governador Fernando Pimentel (PT) era acusado de abuso de poder econômico na campanha de 2014.

Na ação aberta pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), o governador era acusado de extrapolar o limite de gasto fixado pelo partido em mais de R$ 10 milhões.

O processo chegou à Justiça Eleitoral depois da Operação Acrônimo, realizada pela Polícia Federal, que apura lavagem de dinheiro em campanhas eleitorais.

A sessão desta quinta-feira (6) começou com um empate em três a três, e coube ao presidente do TRE, desembargador Pedro Bernardes, decidir o futuro do governador mineiro.

Se condenado, Pimentel e seu vice, Antonio Andrade (MDB) teriam o mandato cassado, mas apenas o petista ficaria inelegível nestas eleições.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade