Publicidade

Estado de Minas

Mares Guia diz que PT repudiou impeachment de Dilma e cassou candidatura de Lacerda

O pré-candidato da Rede ao governo de Minas divulgou carta de solidariedade ao socialista


postado em 02/08/2018 13:53

Mares Guia acusou o PT de cumplicidade com o PSB para se perpetuar no poder(foto: Beto Novaes)
Mares Guia acusou o PT de cumplicidade com o PSB para se perpetuar no poder (foto: Beto Novaes)

O pré-candidato da Rede ao governo de Minas, João Batista Mares Guia, divulgou carta aberta na manhã desta quinta-feira (31) em repúdio à decisão do PSB nacional de retirar a pré-candidatura do ex-prefeito Marcio Lacerda ao Palácio da Liberdade para compor chapa com o governador Fernando Pimentel (PT).

No texto, ele criticou o PT e o que chamou de “ato tirânico de cassação” da candidatura do amigo do PSB. Mares Guia se coloca solidário a Lacerda e fala em "associação golpista" por parte do PT, ao qual já foi filiado.

“Repudiam o impeachment da presidente Dilma Rousseff; contudo, juntos e intencionalmente, engendram e praticam a cassação da candidatura de Márcio Lacerda. Quem age assim, de tudo é capaz”, registrou Mares Guia.

O pré-candidato da Rede afirmou que o “velho e bom” PSB está sob domínio de uma “nova oligarquia regional”, fixada em Pernambuco. Segundo Mares Guia, a legenda de Lacerda agiu em “cumplicidade com o PT” para atender interesses de “perpetuação no poder a qualquer preço”.

Leia a carta na íntegra:



Nessa manhã, sob o impacto do fato da "cassação" do direito do PSB-MG de apresentar a Minas Gerais a legítima e respeitável candidatura de Márcio Lacerda ao governo do Estado, manifesto, aqui, a ele, ao PSB-MG e aos mineiros, o meu sentimento de cidadão:


Estimado amigo Márcio Lacerda, prezados companheiros do PSB-MG:

Minas, os mineiros e os brasileiros que prezam a democracia, e, com ela, o pluralismo de ideias, o republicanismo e a ética na política, decerto estão indignados e repudiam o ato tirânico de cassação da candidatura de Márcio Lacerda ao governo de Minas Gerais.

Hoje, infelicitado, o velho e bom PSB encontra-se sob o domínio despótico e tirânico de uma nova oligarquia regional, fixada em Pernambuco.

Em cumplicidade com o PT e para atender a interesses regionais possessivos de perpetuação no poder a qualquer preço, essa nova oligarquia regional une-se ao já há muito tempo oligarquizado PT nacional e ao irreconhecível PT, na feição de Pimentel, de Minas Gerais. Juntos, agora impõem, como déspotas, um golpe contra a democracia na forma de uma verdadeira cassação do direito de Márcio Lacerda e do PSB-MG apresentarem a candidatura de Lacerda ao governo de Minas.

Retoricamente, repudiam o impeachment da presidente Dilma Rousseff; contudo, juntos e intencionalmente, engendram e praticam a cassação da candidatura de Márcio Lacerda.

Quem age assim, de tudo é capaz! Não é por acaso que Pimentel encontra-se, como réu, respondendo a crimes de corrupção e de lavagem de dinheiro, segundo a lei penal. Rasgou e a cada dia renega mais e mais, como quem deseja se desfazer de um incômodo, os anos dourados da sua juventude de militante em luta contra a ditadura.

Não passa de um déspota sem nenhum esclarecimento, distante de qualquer sonho de grandeza; aliás, incapaz de sonhar, de aspirar algo que contenha elevação. Eis, aí, em plenitude, o Pimentel moldado pela possessão do poder: réu, golpista, manipulador, capaz de qualquer coisa para alcançar e se manter no poder. Não surpreende.

Surpreendente é o PSB ser submetido a uma oligarquia. É a negação do ideário dos socialistas democráticos.

Surpreendente é essa associação golpista ao PT na prática do rebaixamento da vida política. Na prática desse novo modo de golpismo eles promovem, juntos, a miséria da política, o desencantamento da política. A repulsa a isso virá, forte, no voto: votar contra o golpismo, votar contra a corrupção irá, em Minas, significar o voto contra Pimentel e o que ele representa. Registro: ele não representa o verdadeiro PT.

De outra parte, votar contra a dominação oligárquica que há anos tomou conta de Minas Gerais, significa votar, ao mesmo tempo, contra Pimentel, o novo oligarca, e contra Anastasia, o intelectual orgânico do "centrão", o chefe do esquema de dominação oligárquica representado pelo "centrão".

Pois, nesse momento, o PSDB de Minas Gerais, com Aécio Neves, por trás dos tucanos, e o chefe do "centrão Antonio Anastasia, estão se deliciando com a cassação de Márcio Lacerda, imaginando eventual chance de uma vitória eleitoral em turno único! A resposta dos mineiros será, também, a derrota do "centrão" oligárquico, corrupto e corruptor que está por trás das candidaturas do PSDB à presidência e ao governo de Minas Gerais. Quem diria: Anastasia associado a Valdemar da Costa Neto!

Márcio: com a mesma coragem com que você enfrentou a ditadura militar, nessa hora de provação, que exige dos grandes sabedoria, grandeza, exemplaridade e coragem moral, decerto você saberá oferecer aos mineiros uma capacidade de orientação geral, de rumo. Juntos, haveremos de derrotar o golpismo do PT-Pimentel e o duopólio de poder oligárquico que, em triste sucessão, vem infelicitando Minas Gerais.

Pela unidade de todos que verdadeiramente representam uma alternativa democrática, republicana, ética e desenvolvimentista ao poder das velhas e das novas oligarquias chefiadas por Pimentel-PT e pelo "centrão"-Anastasia-Aécio Neves!

À luta.
Fraternalmente e em solidariedade a você e ao PSB-MG,
João Batista Mares Guia

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade