Publicidade

Estado de Minas

'Respira e vem', diz ex-secretário de Pimentel a Lacerda sobre aliança com PT

Braço direito do governador, o deputado Miguel Corrêa seria vice do socialista em 2012, mas foi 'abandonado' na última hora


postado em 02/08/2018 12:17 / atualizado em 02/08/2018 15:57

O PT chegou a aprovar a aliança com Lacerda em 2012, mas o socialista rompeu o acordo(foto: Jair Amaral / EM / D.A. Press)
O PT chegou a aprovar a aliança com Lacerda em 2012, mas o socialista rompeu o acordo (foto: Jair Amaral / EM / D.A. Press)

Pouco depois de anunciada a aliança nacional entre PSB e PT, o deputado federal Miguel Corrêa Jr (PT) ironizou, pelas redes sociais, a possível retirada da pré-candidatura ao governo de Minas do ex-prefeito Marcio Lacerda com a frase “quem com ferro fere, com ferro será fundido”.

Ex-secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia e Ensino Superior, o petista, que é um dos principais aliados do governador Fernando Pimentel e um dos prováveis coordenadores da campanha do petista. No post com a frase, ele se dirigiu diretamente ao socialista, chamando-o a aceitar ser senador na chapa de Pimentel pela reeleição.

Corrêa disse considerar Lacerda sério e competente, mas afirmou que ele “também já abusou do jogo político dos bastidores”. “Então respira fundo e seja bem vindo à nossa aliança. Terei prazer de ajudar em sua campanha ao Senado na nossa coligação”, disse.

O recado soou como uma ironia a Lacerda, que pode vir a compor chapa com o PT(foto: Reprodução Instagram)
O recado soou como uma ironia a Lacerda, que pode vir a compor chapa com o PT (foto: Reprodução Instagram)


O ex-secretário de Pimentel já foi “abandonado” por Lacerda nas eleições de 2012. À época, o PT dava como certa a renovação da aliança com o socialista e aprovou o nome dele como candidato a vice do prefeito na campanha à reeleição de Lacerda. Em cima da hora, o ex-prefeito desistiu da coligação com o PT e escolheu manter somente a dobradinha com os tucanos, tendo Délio Malheiros, então no PV, como vice.

O ex-vice-prefeito Délio Malheiros também sofreu revés articulado por Lacerda na eleição de 2016, quando esperava concorrer ao cargo de prefeito e foi 'trocado” pelo empresário Paulo Brant. Este também acabou sem ter como concorrer, após deixar o cargo de presidente da Cenibra. Isso porque às vésperas da campanha, sem conseguir apoio de partidos políticos suficientes para sustentar a candidatura, Lacerda anunciou que não iria mais apoiar Paulo Brant, alegando que ele teria uma condenação administrativa pelo Banco Central. 

No fim, Délio que havia anunciado que ficaria com quem estivesse "contra o Márcio", acabou tendo o apoio de Lacerda na campanha e foi derrotado pelo prefeito Alexandre Kalil (PHS).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade