Publicidade

Estado de Minas

Ciro diz que 'boçalidade' de Bolsonaro deve derrubá-lo nas pesquisas

O pré-candidato a presidente também afirmou querer 'pegar' o concorrente em um debate


postado em 16/04/2018 15:45 / atualizado em 16/04/2018 15:58

Ciro falou sobre as pesquisas eleitorais(foto: Fátima Meira/Futura Press/ESTADAO)
Ciro falou sobre as pesquisas eleitorais (foto: Fátima Meira/Futura Press/ESTADAO)

O pré-candidado a presidente Ciro Gomes (PDT) afirmou nesta segunda-feira (16) não acreditar que o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), segundo colocado nas pesquisas eleitorais, tenha fôlego para manter o desempenho quando começar a campanha começar.

O presidenciável disse que os levantamentos são um quadro do momento e que, por enquanto, ainda não é possível avaliar qual será o cenário com a saída do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) da eleição.

Ciro disse não conseguir ver Bolsonaro liderando pesquisa eleitoral no país.

“Quando de fato a população botar na agenda o debate sobre a sucessão presidencial, quando começar a comparar e explicitar as alternativas mais competitivas e vierem as perguntas de como resolver essa intrincada situação social, econômica, política e institucional do país, não consigo visualizar pelo extenso despreparo, quando não uma extensa boçalidade de um candidato com as características dele (Bolsonaro)”, disse.

Durante o bate papo com empresários em Nova Lima, na Região Metropolitana de BH, Ciro disse conhecer praticamente todos os pré-candidatos à presidência, inclusive Bolsonaro, e lamentou a ausência dele em um primeiro encontro dos presidenciáveis do qual participou em Porto Alegre.

Quero pegar esse cara


“O Bolsonaro ainda não aparece, mas ainda quero pegar esse cara (em um debate), mas ele não aparece”, afirmou.

Ciro também falou sobre o temperamento explosivo, que vem sendo assunto de seus críticos, e disse que não há nada que ele tenha feito na vida pública que o desabone.

Ciro disse que, na vida particular, quando provocado em universidades, já mandou alguém “à merda” e que todos os que gostam dele o estão advertindo sobre o comportamento na campanha. “Ninguém é perfeito e nem vai entrar na campanha e sair com o terno limpinho”, afirmou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade