Publicidade

Estado de Minas

PSD decide apoiar pré-candidatura de Anastasia ao governo de Minas

O partido faz ato nesta quarta-feira com os deputados estaduais e federais e o ministro Kassab para oficializar a aliança


postado em 11/04/2018 11:22 / atualizado em 11/04/2018 20:07

O suplente de Anastasia, Alexandre Silveira, é o principal articulador do apoio(foto: Euller Junior / EM / D.A. Press)
O suplente de Anastasia, Alexandre Silveira, é o principal articulador do apoio (foto: Euller Junior / EM / D.A. Press)

O PSD de Minas Gerais confirmou, nesta quarta-feira (11), o apoio à pré-candidatura do senador Antonio Anastasia (PSDB) ao governo de Minas Gerais. O partido tem o quarto maior tempo de televisão, com pouco mais de dois minutos diários, e uma bancada com quatro deputados estaduais e cinco federais no estado. A articulação, que tem o aval do presidente nacional do partido, o ministro Gilberto Kassab, foi conduzida pelo suplente de Anastasia no Senado, o ex-deputado Alexandre Silveira.

Para selar a aliança, os 9 parlamentares da bancada mineira, juntos com Kassab e Silveira, fizeram ato nesta quarta-feira na sede do PSD em Brasília, com a presença de Anastasia. “É um ato nacional em defesa da importância da candidatura do Anastasia ao governo. Na compreensão de todos, a candidatura dele é a possível. Além de aglutinar forças da sociedade civil organizada, é capaz de recolocar Minas na condição de equilíbrio das contas, melhorar a vida dos servidores públicos e dos mineiros”, disse Alexandre Silveira.

O suplente, que também é fundador do PSD e membro da Executiva nacional do partido, diz que a decisão de apoiar Anastasia foi unânime nas bancadas estadual e federal. Na Assembleia o partido tem Cássio Soares, Duarte Bechir, Leandro Genaro e Dr. Wilson Batista. Na Câmara as cadeiras são de Marcos Montes, Diego Andrade, Stéfano Aguiar, Raquel Muniz e Mizael Varela..   

Silveira e coordenou a campanha do tucano Pimenta da Veiga ao governo em 2014, mas não sabe ainda que papel terá na eleição de Anastasia, além de cabo eleitoral. “Ele é o comandante e terá total liberdade de definir quem são os soldados e em qual posição estarão”, disse.

O ex-deputado disse ter convicção que o campo de Anastasia voltará a se unir e que a campanha será mais uma vez polarizada com o PT, que tentará a reeleição do governador Fernando Pimentel.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade