Publicidade

Estado de Minas

Bolsonaro deve ter duas ações penais julgadas até agosto

Ministro Luiz Fux, do STF, é relator das ações contra o pré-candidato à Presidência, que serão julgadas pela Primeira Turma do STF


postado em 01/02/2018 20:21

(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Brasília - O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse acreditar que as duas ações penais de sua relatoria em que o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) é réu podem ser julgadas nos próximos seis meses. As duas ações penais deverão ser julgadas pela Primeira Turma do STF.

Numa delas, o pré-candidato à Presidência da República é réu por injúria e apologia ao crime. A autora é a deputada federal Maria do Rosário (PT/RS), sobre quem Bolsonaro declarou, em 2014, que "não estupraria a deputada porque ela não mereceria". A outra denúncia é do Ministério Público Federal (MPF), que enxerga, na conduta do deputado, incitação ao crime de estupro.

"São duas ações penais, uma privada, outra pública. Uma está mais adiantada que a outra, numa delas falta oitiva de três testemunhas. Então, o ideal é julgar junto, porque os fatos são os mesmos, a categorização é que ficou diferente", disse Fux a jornalistas.

Após disparar nas pesquisas, Bolsonaro parou de crescer na corrida presidencial até entre os eleitores que impulsionaram seu crescimento no ano passado. O parlamentar ficou estagnado nos segmentos de maior renda e escolaridade, segundo a última pesquisa do Datafolha.

 

Bollsonaro se consolidou em segundo lugar na disputa e passou a liderar cenários sem a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva — puxado principalmente por eleitores com renda acima de cinco salários mínimos e ensino médio ou superior completo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade