Publicidade

Estado de Minas

Pré-candidato da Rede ataca Aécio e Pimentel: 'Minas está envergonhada'

O ex-deputado João Batista Mares Guia defendeu a redução de cargos comissionados e corte de privilégios para membros de partidos políticos


postado em 27/01/2018 13:59

Ao lado da pré-candidata ao Planalto Marina Silva, João Batista Mares Guia foi lançado como nome da Rede para disputar o governo de Minas(foto: Marcos Vieira/EMDA Press)
Ao lado da pré-candidata ao Planalto Marina Silva, João Batista Mares Guia foi lançado como nome da Rede para disputar o governo de Minas (foto: Marcos Vieira/EMDA Press)
Pré-candidato ao governo de Minas pela Rede Sustentabilidade, o ex-deputado e ex-secretário de Educação João Batista Mares Guia se disse envergonhado ao ver políticos do estado como o senador Aécio Neves (PSDB) e o governador Fernando Pimentel (PT) ligados a denúncias graves de corrupção.

“É com tristeza como mineiro que vejo nesse momento um ex-governador de Minas Gerais (Aécio Neves) lamentavelmente em situação penal crítica. E com grande tristeza que vejo o atual governador (Fernando Pimentel), que poderia ter sido um exemplo bem-sucedido, também respondendo problemas de natureza penal. Minas está entristecida e envergonhada”, afirmou o pré-candidato.

Lançado neste sábado (27) como pré-candidato da Rede ao Palácio da Liberdade, Mares Guia defendeu a redução dos cargos comissionados na gestão estadual e o fim de privilégios para integrantes de partidos que chegam ao poder.

“É preciso contar com pessoas competentes e privilegiar a meritocracia, sem permitir que oligarquias políticas donatárias de privilégios e de mandatos continuem arrendando o estado”, afirmou.

Ele elogiou a medida do governo de Minas ao instalar bases comunitárias da Polícia Militar pelas ruas da capital, mas lamentou os resultados ruins no campo da educação e da saúde pública no estado.

“O que encontramos hoje na secretaria de Educação é uma apropriação partidária e sindical. Fala-se de tudo, menos de qualidade da educação e do ensino. Os resultados ruins estão aí”, disse. Mares Guia avaliou que a situação da gestão mineira está tão ruim que pode “se tornar caótica como a do Rio de Janeiro em breve”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade